Topo

A Fazenda 9

Mauricio Stycer

Por audiência, Record disfarçou a rejeição a Marcos até o último segundo

Reprodução/Record
Flavia, Marcos e Matheus, os três finalistas do programa "A Fazenda 9" Imagem: Reprodução/Record
Mauricio Stycer Maurício Stycer

Mauricio Stycer

É jornalista desde 1986. Repórter e crítico do UOL, autor de um blog que trata da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Maurício Stycer

Colunista do UOL

08/12/2017 01h26

Com cerca de 37 milhões de votos contra 26 milhões de seu rival, Flávia conquistou uma vitória fácil e impressionante sobre Marcos. Este resultado final, porém, não se refletiu no clima que antecedeu a final, nem no programa exibido na noite desta quinta-feira (07). A Record disfarçou muito bem a rejeição sofrida pelo médico.

Era possível sentir, nas redes sociais, que Marcos tinha uma forte torcida a favor, tão barulhenta quanto a que não queria vê-lo como campeão. As enquetes mostravam um equilíbrio na disputa. Ao não informar os percentuais de votação das duas últimas roças, a Record o protegeu. 

O placar da final deixa claro que se Marcos tivesse disputado uma roça dupla dificilmente teria chegado à final. Mas a Record emendou três roças triplas nesta última semana.

Pior, para muitos espectadores, a edição da “Fazenda” parecia simpática a Marcos. Roberto Justus, em vários momentos, foi mais generoso com ele do que com os rivais, como ao fazer esta pergunta aos três finalistas. Repare:

“Flavia, seja muito breve e diga pro Brasil por que você merece ser a campeã desta Fazenda”.

“Marcos, convença o público de casa a te dar este ouro que você persegue tanto.”

“Mateus, agora é com você, peça os votos para você ser o campeão da Fazenda”.

Marcos foi, de fato, o grande personagem desta edição. Na falta de bons competidores, ele representou ao mesmo tempo o protagonista e o antagonista do programa, se é que isso seja possível.

Flávia foi quem melhor soube se opor ao médico. Desestabilizou Marcos ao não fazer nada que desse a ele pretexto para atacá-la. Sobrou uma crítica fraca, a de que ela era “vetezeira” – todos são, na realidade.

Marcos passou 165 dias de 2017 confinado em programas na televisão – 78 dias no “BBB” e 87 na “Fazenda”. Meio ano, praticamente. Não há quem passe por isso sem sequelas. O comportamento agressivo e arrogante do médico em diferentes etapas dos dois realities mostra que ele precisa descansar.

A verdade é que tanto Globo quanto Record faturaram bem com o estilo de Marcos. 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!