A Fazenda 9

Mauricio Stycer

Por audiência, Record disfarçou a rejeição a Marcos até o último segundo

Reprodução/Record
Flavia, Marcos e Matheus, os três finalistas do programa "A Fazenda 9" Imagem: Reprodução/Record
Maurício Stycer

Maurício Stycer

É jornalista desde 1986. Repórter e crítico do UOL, autor de um blog que trata da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Colunista do UOL

08/12/2017 01h26

Com cerca de 37 milhões de votos contra 26 milhões de seu rival, Flávia conquistou uma vitória fácil e impressionante sobre Marcos. Este resultado final, porém, não se refletiu no clima que antecedeu a final, nem no programa exibido na noite desta quinta-feira (07). A Record disfarçou muito bem a rejeição sofrida pelo médico.

Era possível sentir, nas redes sociais, que Marcos tinha uma forte torcida a favor, tão barulhenta quanto a que não queria vê-lo como campeão. As enquetes mostravam um equilíbrio na disputa. Ao não informar os percentuais de votação das duas últimas roças, a Record o protegeu. 

O placar da final deixa claro que se Marcos tivesse disputado uma roça dupla dificilmente teria chegado à final. Mas a Record emendou três roças triplas nesta última semana.

Pior, para muitos espectadores, a edição da “Fazenda” parecia simpática a Marcos. Roberto Justus, em vários momentos, foi mais generoso com ele do que com os rivais, como ao fazer esta pergunta aos três finalistas. Repare:

“Flavia, seja muito breve e diga pro Brasil por que você merece ser a campeã desta Fazenda”.

“Marcos, convença o público de casa a te dar este ouro que você persegue tanto.”

“Mateus, agora é com você, peça os votos para você ser o campeão da Fazenda”.

Marcos foi, de fato, o grande personagem desta edição. Na falta de bons competidores, ele representou ao mesmo tempo o protagonista e o antagonista do programa, se é que isso seja possível.

Flávia foi quem melhor soube se opor ao médico. Desestabilizou Marcos ao não fazer nada que desse a ele pretexto para atacá-la. Sobrou uma crítica fraca, a de que ela era “vetezeira” – todos são, na realidade.

Marcos passou 165 dias de 2017 confinado em programas na televisão – 78 dias no “BBB” e 87 na “Fazenda”. Meio ano, praticamente. Não há quem passe por isso sem sequelas. O comportamento agressivo e arrogante do médico em diferentes etapas dos dois realities mostra que ele precisa descansar.

A verdade é que tanto Globo quanto Record faturaram bem com o estilo de Marcos. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Maurício Stycer
Topo