Topo

Não para! Marcos e Flávia trocam farpas em conversa com Fábio Porchat

Reprodução/Record
Marcos Harter diz que quer ser o campeão de "A Fazenda: Nova Chance" Imagem: Reprodução/Record

Colaboração para o UOL

30/11/2017 08h26

Marcos Harter e Flávia Viana não conseguiram ficar sem se alfinetar ao participarem do "Programa do Porchat" de quarta-feira (29) com os outros candidatos - Monick Camargo, Yuri, Matheus e Rita Cadillac. O apresentador foi à sede de "A Fazenda" entrevistar quem resta na disputa por R$ 2 milhões.

Porchat quis saber se era mais difícil participar pela primeira ou segunda vez de um reality show. "Agora tem uma pessoa o tempo inteiro com implicância, para mim está sendo bem mais difícil", disse Flávia. "Eu já fui para três roças, voltar dá uma revigorada".

Marcos deu sua versão. "O primeiro é sempre mais difícil, e minha história no 'Big Brother' foi bem complicada. Não só o reality mas o que vivi lá fora. Já imaginava que encontraria algumas coisas ruins aqui, vim mais preparado".

Ela continuou. "Aqui é um jogo que a gente lida com seres humanos, têm que ser respeitadas as diferenças, a forma de cada um. A gente vai conviver três meses, então não tem como sair passando por cima de princípios e do respeito", avaliava, até ser interrompida por seu arquirival. "Uma grande forma de respeitar é viver o reality da forma mais real possível", alfinetou Marcos.

A ex-integrante do "BBB 7" manteve o raciocínio. "Você entende, Fábio, estou falando com você, obrigada. Respeitas as pessoas é o principal para mim. Se você está virando cambalhota na grama, que legal, você está dando a sua cambalhota, por que eu tenho que invadir o seu espaço e julgar? Todo mundo tem que sair e se chegar minha hora vou sair de cabeça erguida. Aqui falta respeitar um pouco o espaço de cada um", reclama.

Porchat quis saber se ela e os outros participantes conseguiam ligar o botão "dane-se". "Hoje eu consigo acordar e dizer: 'vou cuidar dos meus gansos de novo, dar minha risada de novo', mas eu preciso processar isso. São coisas pesadas que invadiram e me magoaram. Ouvir uma vez, duas, mas foi o reality inteiro", reclama. O médico a provocou novamente. "É que o chapéu [de Fazendeiro] serve. Quando não serve, tem que ligar o dane-se".
 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!