PUBLICIDADE
Topo

Especial BBB20

Bial ofende a inteligência do público ao justificar erro na prova do líder

"O que eu não digo, pode?, disse Pedro Bial ao público ao explicar por que os candidatos que dormiram na prova de resistência não foram eliminados - Reprodução/TV Globo
"O que eu não digo, pode?, disse Pedro Bial ao público ao explicar por que os candidatos que dormiram na prova de resistência não foram eliminados Imagem: Reprodução/TV Globo

Mauricio Stycer

Colunista do UOL

19/02/2016 23h45

Tradição no “BBB” desde os primórdios, as provas de resistência, por natureza, sempre dão margem a discussões entre espectadores. Nunca ocorreu uma disputa deste tipo sem “denúncias” de que algum participante burlou uma regra sem a produção perceber.

Tão tradicional quanto o próprio programa, este tipo de reclamação (ou “mimimi”, como se diz hoje) não pode ser confundido com o que ocorreu esta semana no “BBB16”.
 
A prova de resistência, realizada ao longo de mais de 14 horas entre a noite de quinta-feira (18) e a manhã do dia seguinte, causou furor não pelo que alguém fez ou deixou de fazer, mas pela falta de explicações sobre algo básico – as regras da disputa.
 
Vistas por alguns como exercício de sadismo, as provas de resistência sempre submetem os candidatos a dois sacrifícios terríveis: não poder dormir nem satisfazer necessidades fisiológicas. É uma espécie de padrão do “BBB”.
 
Muito bem, na prova desta semana, vários participantes dormiram – e nenhum foi eliminado, como seria de se esperar. Renan, um dos vencedores (junto com Tamiel), claramente cochilou durante a disputa.
 
Para quem observou a prova com atenção, era do interesse do programa não impedir que os candidatos dormissem, em especial os que tinham a função de apertar o botão sempre que o sinal soava. Se isso ocorresse, o programa teria uma ótima cena para mostrar no dia seguinte.
 
O problema é que Pedro Bial não avisou o público deste pormenor. Para os fãs que passaram a madrugada acordados, acompanhando a prova e torcendo por seus candidatos, foi desesperador ver os rivais dormirem e não serem eliminados.
 
No programa desta sexta-feira (19), o apresentador foi arrogante ao justificar a situação. Em vez de se desculpar por não ter informado o público, ele falou: “O que eu digo que não pode, não pode; o que eu não digo, pode”.
 
A frase é uma ofensa à inteligência dos espectadores, Trata-se, evidentemente, de uma falácia. Se um candidato empurrasse outro seria eliminado, apesar de Bial não ter dito nada a respeito.
 
A falta de transparência é norma no “BBB”. E, não raro, também a arrogância. A direção do programa parece segura que o público aceita qualquer coisa. Será?

primeiro mês valeu reality inteiro

UOL Entretenimento

Especial BBB20