Reality shows

As vantagens e desvantagens de não ver "BBB" por sete dias

Natália Guaratto

Do UOL, em São Paulo

27/01/2016 18h39

Todos os anos quando o "BBB" começa, o Brasil se divide entre os viciados que não vão perder um paredão e aqueles cujo lema é "desligue a TV e vá ler um livro". A repórter do UOL, que cobre o "BBB" desde 2012 e já até participou de uma mini edição com jornalistas, ficou sete dias sem assistir ou ler qualquer material relacionado ao programa e listou as vantagens e desvantagens de ficar despreocupado com a "casa mais vigiada do Brasil".

Desvantagens

  • Imagem: Reprodução/TV Globo
    Reprodução/TV Globo
    Imagem: Reprodução/TV Globo

    Dá trabalho

    Ignorar o assunto que há anos é o mais buscado no Google pelos brasileiros não é fácil, principalmente na internet. Na primeira semana do "BBB16", acessar qualquer página da web foi como pisar num campo minado. Dos jornais diários às revistas femininas mais descoladas, quase todos os portais têm notícias sobre o "BBB". Sem contar as redes sociais, que são inundadas por comentários e matérias sobre o reality show. Para ajudar, você pode instalar alguns plugins como o No BBB, extensão para o Google Chrome, que bloqueia textos relacionados ao programa. Mas se você passa a maior parte do seu dia na internet ou no celular, o esforço é em vão. Então não teve como evitar saber que a primeira prova do líder foi de resistência e que um participante se incomodou com a esponja black power da cozinha.

  • Imagem: Reprodução/artesdepressao
    Reprodução/artesdepressao
    Imagem: Reprodução/artesdepressao

    As pessoas te julgam

    Não assistir ao "BBB" não te faz mais inteligente do que quem assiste, dizem os psicólogos, e também não te enobrece. Pelo contrário, se você decidir eliminar o programa da sua vida, prepare-se! Vai rolar um preconceito. Em tempos do meme "diferentona", as pessoas vão te chamar ironicamente de intelectual e te acusar de só asssitir TV Cultura e documentários. Mesmo que para compensar a carência de "BBB", você esteja acompanhando umas reprises de "Are You The One".

  • Imagem: Reprodução/Reddit
    Reprodução/Reddit
    Imagem: Reprodução/Reddit

    Você fica deslocado

    Não chega a ser algo desesperador, mas não ver "BBB", às vezes, te deixa mais perdido que o gif do John Travolta. "A Geralda parece a Palmirinha", "Ronan é o vilão", "um absurdo o Matheus beijar a Maria Claudia só para ficar na casa", "vamos embora porque hoje tem a formação do primeiro paredão" são frases que não fazem o menor sentido para você, mas que insistem em chegar aos seus ouvidos, na mesa do bar, no cafézinho do trabalho ou no trio elétrico da Daniela Mercury na Rebouças. Pode também rolar uma culpa por ignorar aquela conversa frenética dos amigos no WhatsApp, mas não é nada que você já não faça com o grupo da família.

Vantagens

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Mais tempo para ver séries

    Como quase tudo na vida, de superar o término de uma namoro a fugir do "BBB", a solução para os problemas é sempre o Netflix. Sem a obrigação de acompanhar o "BBB", a vida fica mais leve para abraçar aquela marotana de "How To Get Away With Murder" que vinha sendo procrastinada há tempos. Troque a prova do líder por um episódio de "Master of None" e mande um binge-watching de "Mr. Robot" na eliminação. Não vai dar nem tempo de sentir falta do discurso do Bial.

  • Imagem: Reprodução/TV Globo
    Reprodução/TV Globo
    Imagem: Reprodução/TV Globo

    Não ter que lidar com chorume

    A pior coisa de acompanhar o "BBB" profissionalmente é ter que lidar com preconceito e desinformação que vira e mexe surgem nas conversas dos participantes ou nas reações dos espectadores expressas nos comentários das reportagens sobre o programa. Não ter que tentar entender ou repercutir a frase de uma das participantes: "Sou machista. Não estou atrás de direitos iguais", foi, sem dúvida, o maior benefício dessa experiência.

  • Imagem: Reprodução/TV Globo
    Reprodução/TV Globo
    Imagem: Reprodução/TV Globo

    Menos trabalho

    Essa é uma vantagem restrita a quem trabalha em uma redação de entretenimento. O Carnaval e o Oscar podem até tentar, mas o assunto que mais rende reportagens - e trabalho para jornalistas de celebridades - no começo do ano, é o "BBB", ou seja, quando sua obrigação da semana é não assistir ao programa, sua carga de trabalho diminui na mesma proporção em que o ódio dos colegas sobrecarregados aumenta.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
Colunas - Flavio Ricco
TV e Famosos
TV e Famosos
do UOL
Blog do Maurício Stycer
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
Colunas - Flavio Ricco
TV e Famosos
do UOL
do UOL
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Ricardo Feltrin
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
Chico Barney
TV e Famosos
Blog do Maurício Stycer
TV e Famosos
TV e Famosos
Redação
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
Colunas - Flavio Ricco
TV e Famosos
Colunas - Flavio Ricco
Blog do Maurício Stycer
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
Blog do Maurício Stycer
Topo