Topo

Criticada por fãs, nova votação do BBB causa distorções e não impede fraude

Reprodução/TV Globo
Juliana e Ana Paula estão no quarto paredão do "BBB16" Imagem: Reprodução/TV Globo

Beatriz Amendola*

Do UOL, em São Paulo

23/02/2016 14h39

Após 14 anos e 16 edições, o sistema de contagem de votos do “BBB” mudou. Com pouco mais de um mês da nova edição do reality show, os resultados dos paredões não serão mais determinados pelo total dos votos recebidos, mas por um número de pontos provenientes dos votos contabilizados em cada região brasileira e por meio de ligações telefônicas e SMS.

A mudança, que será colocada em prática na eliminação desta terça-feira (23), provocou estranhamento e foi exaustivamente criticada nas redes sociais – afinal, ela ocorreu com o jogo já em andamento, no quarto paredão, e, na prática, um candidato pode ser eliminado mesmo tendo milhões de votos a menos do que seu oponente. Entre as possíveis distorções, estão o fato de que as regiões têm o mesmo peso na votação (1 ponto cada) mesmo tendo populações de tamanhos diferentes. E que vitórias com diferentes porcentagens terão o mesmo peso – se um participante tiver 50% mais um voto em uma região e seu oponente tiver 90% de votos em outra, o ponto que receberão por essa região terá o mesmo valor na contagem final.

A Globo justificou a mudança alegando que ela garantiria “uma maior representatividade de cada região brasileira”, o que foi reforçado pelo diretor José Bonifácio Oliveira Sobrinho, o Boninho, em entrevista à “Folha de S. Paulo” na última segunda-feira (22): “A gente quer é que o Brasil se veja um pouco mais representado, que brinque mais”. Já os votos vindos do exterior, de acordo com a emissora, serão divididos igualitariamente entre as cinco regiões. 

As explicações, porém, têm sido questionadas por jornalistas especializados e fãs nas redes sociais. A coluna “Outro Canal”, da “Folha”, afirmou que nos bastidores do programa fala-se em corrigir distorções causadas pelas torcidas dos brothers nas redes sociais. E muitos fãs especulam se o objetivo da medida é reduzir a força deles e dos “mutirões” que eles realizam para angariar votos em favor de seus brothers favoritos.

Voto regional não afeta possíveis fraudes
Se a Globo tenta combater suspeitas de distorção, porém, não é necessariamente o voto regional que irá mudar isso. Não só pelo engajamento dos fãs, que já têm se reorganizado para as votações, mas principalmente porque a medida não coíbe internautas que estejam, de fato, mal-intencionados e queiram fazer uso de recursos proibidos na hora da votação.

O mais simples seria mascarar o IP por meio de um VPN, o que possibilitaria ao internauta fingir que é de outra região. A Globo, porém, afirmou que usará outros recursos para determinar a região do usuário. “A identificação da região de onde veio o voto se dará por um conjunto de tecnologias, não apenas o IP”, informou ao UOL, sem detalhar quais seriam essas tecnologias.

Reprodução/ TV Globo
Internauta adiantou resultado de paredão que eliminou Daniel, mas isso não significa que segurança da votação foi comprometida Imagem: Reprodução/ TV Globo

Também é possível fazer uso de softwares que tornem automática a votação, burlando o capctha, sistema usado para comprovar que o usuário é de fato um humano, não um robô, e assim validar os votos. O utilizado pelo site oficial do “BBB”, que traz símbolos em vez de números e letras, é mais complexo, mas não infalível, de acordo com o especialista em segurança digital Fernando Fonseca.

“É um reconhecimento óptico. Da mesma forma que ele reconhece uma letra, ele reconhece um coração, reconhece onde está. É mais complexo sim, mas não é impossível”, explica Fonseca. Há, porém, um limite para este recurso, já que é fácil detectar que há fraude caso muitos votos sejam enviados em um curto espaço de tempo: “[O internauta] não é tão rápido e tem tanto tempo assim na vida. O sistema antifraude começa a detectar isso”.

Em um extremo, ainda seria possível burlar a votação alugando uma “botnet”: uma rede de computadores pessoas comuns que foram infectados por algum software malicioso e é utilizada por hackers para realizar certas ações online. “As pessoas que alugam redes conseguiriam distribuir a votação por várias cidades. Pode vir um comando ‘joga cinco votos no candidato A no período de três horas’. Aí ele vai fazer um voto a cada 40 minutos. Cinco votos não ajudam muito. Mas como as pessoas têm redes de dez mil máquinas infectadas, são 50 mil votos”, afirma Fonseca.

O consultor ressalta que apesar de não haver nenhuma confirmação de fraude, não há sistema infalível: “A verdade é que não tem sistema invulnerável. É tudo especulação a partir daqui. Mas que existem os meios, existem. Se eles estão sendo utilizados, só o time de segurança da Globo que vai ter essa informação”.

Um dos meios de aumentar a segurança seria exigir um cadastro de todos os votantes do “BBB”. Isso, porém, custaria caro e provavelmente inibiria a votação, de acordo com Routo Terada, professor do Instituto de Matemática e Estatística da USP: “O que você tem de maior segurança, e que custa mais caro, é cadastrar cada votante como você cadastra cada cliente de um banco. Você restringe a votação ao cadastro, aí você recebe a informação e o próprio sistema vai verificar se ela é consistente com os dados cadastrais. Mas aí você simplesmente está inibindo a pessoa que é fã do 'BBB' de votar”.

Vazamento de votos x mudança na votação
Em meio ao anúncio da nova votação do “BBB”, a Globo se envolveu em outra polêmica: um estudante descobriu uma brecha e conseguiu antecipar a eliminação de Daniel no terceiro paredão do programa, divulgando inclusive o percentual de votos recebidos pelo empresário.

O rapaz já vinha divulgando o resultado dos paredões desde o segundo, que opôs Ana Paula e Laércio. Mas a Globo, em comunicado ao UOL, descartou qualquer relação entre a brecha e a mudança no sistema de contagem dos votos. “Não existe relação entre os fatos”, disse a emissora.

De fato, uma possível vulnerabilidade que permita ver os resultados da votação não significa que a segurança dela tenha sido comprometida. “O que houve foi uma violação da confidencialidade. Ele fez perguntas para página, e ela respondeu para ele como estava a votação”, explica Fernando Fonseca, acrescentando que páginas desse tipo geralmente são acessadas por usuários que têm permissão apenas para ler seu conteúdo. “A gente não sabe como funciona internamente, mas, normalmente, essas páginas de enquete são feitas com um usuário que só tem permissão de ler para poder te dar um status de como a coisa está naquele momento”.

Na última segunda-feira, véspera do paredão entre Ana Paula e Juliana, o estudante que divulgou os resultados afirmou que não consegue mais burlar o sistema. “Se eu conseguir qualquer coisa eu aviso vocês, mas a Globo realmente consertou a brecha”, escreveu em sua rede social.

Procurada, a Globo informou que a página supostamente usada pelo estudante não dava acesso à contabilidade da votação do “BBB” e, por isso, permanece no ar, pois é parte integral do sistema e usada em vários módulos do portal.

Fãs e familiares se reorganizam
Desde o anúncio da mudança, fãs e pessoas próximas aos brothers estão se adaptando ao novo sistema. Irmão da emparedada Juliana, Raphael Dias afirmou que está tendo a ajuda dos fã-clubes da web para os mutirões – quando várias pessoas se reúnem para votar em um mesmo horário.

“Os fã-clubes ajudam muito porque acabam ensinando a gente, que não tem tanta desenvoltura. Eles organizam os mutirões e passam pra mim. Cada mutirão no Twitter fica responsável por uma região. Nós perguntamos quem é da torcida do nordeste, por exemplo, e nos organizamos”, contou Raphael, que revelou um estranhamento com a nova regra: “Primeiro, porque foi durante o andamento do programa, e também porque não está muito claro, tanto que a Globo explicou como vai ser várias vezes”.

Irmão de Daniel, último eliminado pelo sistema anterior de votos, Andrei Manzieri acredita que o agrupamento regional de votos pode ser bom para o jogo. “Me parece ser um critério mais justo, que vai representar a opinião do Brasil como um todo. Você acaba evitando pessoas mais estruturadas que de repente contratam gente pra votar. Acho que esse critério representa quem vota mesmo”.

Administradora do fã-clube Portal Clanessa, ao lado de Amabile Sales, Di Angelis tem organizado mutirões em favor de Ana Paula, mas não mudou a estratégia para contar os votos regionais. “Aqui, no momento, vamos continuar a fazer mutirões únicos para todas as regiões, temos milhares de seguidores fiéis que nos acompanham há anos. Depois, vou estudar se é viável ter um novo método de mutirão regional, ainda não decidimos”.

Ela é crítica ao novo método escolhido pela Globo: “Acho desigual e injusto, pois iguala as regiões com peso igual, de 1 ponto. Significa dar peso igual para populações de tamanhos muito diferentes. O resultado é negativo, pois, nessa nova forma de apuração de votos, podem acontecer injustiças. Por exemplo, pode acontecer que um candidato seja eliminado mesmo se receber milhões de votos a menos que o vencedor do paredão”.

Já a tuiteira Yohanna Odilon, que também organiza mutirões na rede social, acredita que a mudança irá tirar um pouco da força dos votos pela web. “De início, eu não gostei, acredito que deveria ser decidido por maioria dos votos, como sempre. Não temos uma noção concreta ainda porque é o primeiro paredão com esse sistema, mas acho que ele possivelmente vai tirar um pouco a força da internet, o que não seria nada bom pra participante que eu torço, por exemplo, que tem uma considerável maioria de torcedores na internet.”

Assim como as administradoras do @portal_clanessa, ela não alterou os mutirões, mas ressaltou que já surgiram fãs-clubes regionais. “Algumas centrais regionais foram criadas para intensificar os votos em regiões específicas, mas eu particularmente não alterei a estratégia dos meus mutirões, continuo os fazendo da mesma forma que fazia antes, até porque no último paredão, Daniel x Ronan, votamos dessa forma e conseguimos sair com a vitória em todas as regiões”. 

*Colaboração de Paulo Pacheco e Felipe Pinheiro

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!