PUBLICIDADE
Topo

Chico Barney

Participantes covardes e público careta fazem "BBB17" naufragar

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

Especial para o UOL

02/03/2017 17h48

É com grande pesar que informo: o fundo do poço chegou para o "BBB17".

As promessas trazidas pelo elenco inusitado foram tragadas por histórias insuportáveis que nunca chegam a se desenvolver de fato. O máximo que temos são juras de ódio eterno – sempre pelas costas, sem o aguardado confronto.
 
A partir de hoje, passo a incluir dois novos nomes na cotação dos brothers: Tiago Leifert  – representando a produção como um todo, e o público. Ambos são fundamentais para o desenrolar das sofridas semanas que temos a seguir. E só um deles, na minha opinião, tem condições de impedir que a vaca vá pro brejo em definitivo.
 
Cotação Marcos - Divulgação/Arte UOL - Divulgação/Arte UOL
Imagem: Divulgação/Arte UOL
É a crise de meia-idade mais dolorosa de assistir desde o último DVD do "Capital Inicial". O cirurgião plástico segue passando vergonha numa frequência que nem Ju Isen consegue manter. Suas frouxas pregas emocionais estão expostas 24h por dia e os responsáveis por isso surpreendentemente continuam empregados. Já estamos todos verdes como o traseiro da supracitada modelo – mas é de enjoo, graças a modorrenta saga do doutor no "BBB".
 
Cotação Vivian - Divulgação/Arte UOL - Divulgação/Arte UOL
Imagem: Divulgação/Arte UOL
Vivan pensa como uma boa BBB, mas ainda não foi capaz de agir como uma boa BBB. O tempo está passando e talvez caiba a ela apenas a chance de tentar ser uma formidável ex-BBB. 
 
Cotação Roberta - Divulgação/Arte UOL - Divulgação/Arte UOL
Imagem: Divulgação/Arte UOL
Ilmar deu uma orelhada em Roberta depois do último paredão e aconteceu algo que é didático sobre o comportamento desta cidadã. Ela esperou seu desafeto mudar de cômodo, levantou da mesa onde estava sentada com Vivian e começou a rodopiar enquanto sussurava “Não me segura! Não me segura!”. Para que serve um BBB que não ladra e não morde? Para sair no paredão mais próximo. Mas provavelmente não sobraria ninguém caso a linha de corte do público fosse essa.
 
O gif abaixo fez fama e fortuna nas redes sociais ao longo das últimas semanas e acredito que sirva como triste ilustração a respeito da corrente temporada.
 
Cotação Daniel - Divulgação/Arte UOL - Divulgação/Arte UOL
Imagem: Divulgação/Arte UOL
A casa dos zeros à esquerda tem como figura mais proeminente o pouco arguto Daniel. Fica difícil acreditar que um sujeito como esse tenha sido selecionado para participar do BBB. Fiel praticante do anti-jogo, o rapaz é um poço de monotonia - daqueles que tentam brindar a harmonia da casa sem nenhuma ironia.
 
Cotação Marinalva - Divulgação/Arte UOL - Divulgação/Arte UOL
Imagem: Divulgação/Arte UOL
Caso Marinalva fosse abduzida durante alguns dias, dificilmente algum colega, produtor ou telespectador conseguiria perceber antes do seu retorno. Talvez se ela voltasse falando klingon alguém até suspeitasse de algo.
 
Cotação Ieda - Divulgação/Arte UOL - Divulgação/Arte UOL
Imagem: Divulgação/Arte UOL
Vovó Urach esboçou um tino para o protagonismo que não conseguiu sobreviver ao carnaval. O grande ato de coragem da semana foi pedir que parassem de chamá-la de Mama. Isso depois de 40 dias de confinamento e motivada por um discurso inflamado do Tiago Leifert, que tentava criar conflitos um pouco mais interessantes que esse. 
 
Cotação Rômulo - Divulgação/Arte UOL - Divulgação/Arte UOL
Imagem: Divulgação/Arte UOL
O inimigo número 1 do entretenimento. Rômulo está preocupado em construir algum tipo de imagem apaziguadora e defensora de plataformas morais, éticas e cívicas que não se sustentam dentro de um programa como o "BBB". Ou dentro de qualquer programa cuja finalidade seja divertir alguém. Me surpreende a Globo ter deixado entrar um cara que está obviamente fazendo um pitch para a TV Senado.
 
Cotação Ilmar - Divulgação/Arte UOL - Divulgação/Arte UOL
Imagem: Divulgação/Arte UOL
Ilmar Bussunda Fawcett recebeu informação relevante de Tiago Leifert: foi o menos votado no último paredão. Em vez de botar fogo no cabaré, preferiu voltar a flertar com Marcos e Emilly, que jamais hesitaram em colocar o dele na reta. O jogador Ilmar é uma ideia que existe na cabeça e não tem a menor pretensão de acontecer.
 
Cotação Pedro - Divulgação/Arte UOL - Divulgação/Arte UOL
Imagem: Divulgação/Arte UOL
Os desenhos animados japoneses tem uma característica que sempre me incomodou bastante: como contenção de verba, uma única briga poderia durar 4 ou 5 episódios. O roteiro é recheado de bravatas tipo “vou destruir você”, “prepare-se para sofrer”, “estou carregando meu chi”, “ninguém acredita que conseguirei derrotá-lo, mas comerei o cérebro de sua família” e muitas outras abobrinhas. Tudo para ganhar tempo e fazer com que o incauto telespectador se divirta com um fiapo de história. Os problemas de Pedro são basicamente dois: 1) essas bravatas nunca viram confronto direto; 2) o texto das bravatas dele são muito sem graça. Estamos perdendo tempo à toa.
 
Cotação Emilly - Divulgação/Arte UOL - Divulgação/Arte UOL
Imagem: Divulgação/Arte UOL
Emilly é invejosa, mimada e iludida. É uma trinca poderosa para um programa como o "BBB". Se é costumeiramente acusada de ter arruinado com a possibilidade de surgirem histórias mais interessantes no jogo, o fato é que ela se tornou o último bastião do entretenimento na casa. Lá ou cá, ninguém rende assunto como ela. Uma pena termos virado reféns de uma única pessoa como fonte de qualquer possibilidade de alegria.
 
Cotação público - Divulgação/Arte UOL - Divulgação/Arte UOL
Imagem: Divulgação/Arte UOL
Ninguém tem se esforçado mais para arruinar "BBB17" do que o eleitorado. Há quem defenda uma intervenção, para tirar das mãos do cidadão comum a chance de ditar os rumos do horário nobre da Globo. Elis sair com 80% em um paredão triplo é a prova de que o voto popular no "BBB" é mais uma instituição brasileira que respira por aparelhos.
 
Cotação Tiago Leifert - Divulgação/Arte UOL - Divulgação/Arte UOL
Imagem: Divulgação/Arte UOL
Tenho achado glorioso o esforço da produção em movimentar as coisas e passar recados claros para os participantes. Às vezes os recados são tão claros que o pessoal dentro da casa fica interpretando como se ainda estivéssemos vivendo sob a égide das charadinhas do Bial. Para salvar o programa, a mão precisa ficar ainda mais pesada. E mais criativa, também. Já deu pra notar que as mensagens do Leifert às terças não são suficientes, assim como os cards especiais. Então já passa da hora de termos twists mais radicais: trazer ex-BBBs de volta, fingir eliminações, contratar atores, ameaçar arrancar o braço de alguém - sei lá. O importante é continuar tentando.
 
O grande embate que vai surgindo é entre a produção do programa e essa grande turma do "deixa disso" que é o elenco e o público votante do "BBB17". A julgar pelo atual estado das coisas, temo pelo futuro da atração.
 
Concorda ou discorda das avaliações dessa semana? Manifeste-se nos comentários. Da minha parte, posso garantir que volto a qualquer momento com novas informações - se eu não dormir assistindo essa chatice.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Chico Barney