Topo

Especial BBB17

Foi feio não fazer uma homenagem a Pedro Bial na estreia do "BBB17"

Mauricio Stycer Maurício Stycer

Mauricio Stycer

É jornalista desde 1986. Repórter e crítico do UOL, autor de um blog que trata da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Maurício Stycer

Colunista do UOL

24/01/2017 00h26

Para os fãs mais radicais de Pedro Bial, sem o apresentador o “BBB” acabou. Não faço parte deste time. Acho que substituições são normais, ainda mais depois de 16 temporadas fazendo a mesma coisa.

Por outro lado, reconheço que o reality show da Globo deve muito, muito mesmo, ao jornalista. Bial levou a sério a função de apresentador do “BBB”, se “jogou” e foi fundo na função. Inventou modas, inspirou brincadeiras e piadas, ajudou o programa a repercutir fora da TV. 
 
Por tudo que fez e representa para o reality, Bial merecia algum tipo de homenagem na estreia da primeira edição sem a sua presença. Foi feio ignorar a sua história no programa e tratar a estreia de Tiago Leifert como a coisa mais natural do mundo. 
 
O novo apresentador não tem culpa. Mas Mr. Edição avaliou mal ao considerar que seria melhor esquecer de Bial na estreia do “BBB17”. Ao fazer isso, acaba reforçando a impressão de que está inseguro com a mudança. 
 
Num programa com tão poucas atrações como o desta estreia, nesta segunda-feira (23), caberia sem dificuldade uma menção generosa ao apresentador que se tornou sinônimo de “BBB”.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!