Topo

Especial BBB17

Mauricio Stycer

Emilly ou Leifert, quem é o protagonista do "BBB17"?

Reprodução/TV Globo
Emilly e Roberta se emocionam durante sétimo paredão Imagem: Reprodução/TV Globo
Mauricio Stycer Maurício Stycer

Mauricio Stycer

É jornalista desde 1986. Repórter e crítico do UOL, autor de um blog que trata da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Maurício Stycer

Colunista do UOL

15/03/2017 04h01

Superada a marca dos 50 dias, são cada vez mais distantes as esperanças de que algum candidato do “BBB17” seja capaz de surpreender. Pensando em diversão e entretenimento, parece claro que este elenco é um dos menos interessantes da história do programa.

Emilly, pelas razões já conhecidas por todos, se tornou a personagem em torno da qual o reality se desenvolve. Parte do público a adora; parte a odeia. Já superou vários paredões e caminha tranquilamente, se não vacilar, para a final. 
 
Mas a jovem, diferentemente de protagonistas de outras edições, também não é uma Brastemp em matéria de produzir diversão ou causar irritação. Muito consciente do seu papel dentro do jogo, ela tem estudado os seus movimentos e já não oferece mais tantos bons momentos quanto no início (o seu chute em Marcos foi a exceção da semana).
 
Tiago Leifert, por sua vez, busca preencher o vazio oferecido pelo elenco entediante. Desde o início vem interferindo abertamente no jogo, dando dicas, orientando e informando os candidatos, de maneira a tornar o “BBB17” menos chato. 
 
É um caminho polêmico em um reality cuja essência é baseada na situação de confinamento e isolamento. Já o critiquei aqui várias vezes por ultrapassar a linha. Mas reconheço que o apresentador está se esforçando de verdade para tirar o programa do limbo em que se encontra.
 
A sua conversa com Emilly e Roberta nesta terça-feira (14) foi das coisas mais ridículas (e, por isso, engraçadas) que já vi num “BBB”. No papel de conselheiro sentimental, Leifert quis convencer as duas – e o público – de que o conflito que viveram no reality foi causado por ciúmes.  
 
“Se for ciúme, é porque vocês se gostam muito. Uma crítica à geração de vocês: vocês tem muita pressa e pouquíssima paciência. Vocês dão follow e unfollow. A vida não é assim. Tem muitos jeitos de resolver isso não tão rápido. Por que não é rápido. A amizade, o amor, as coisas não são desse jeito”, disse o apresentador. 
 
“Precisava disso tudo? Valeu a pena? Quantos abraços vocês não se deram? Quantas festas vocês não curtiram? Quantas risadas vocês não deram juntas? Por quê?”, perguntou. “Ela preferiu se afastar de mim”, disse Emilly, no papel da amiga traída.
 
“Essa é a última chance de vocês fazerem as pazes. Vocês precisam acreditar mais no poder de um beijinho na bochecha e de um abraço. Era muito fácil. E vai fazer muita falta”, concluiu Leifert, antes de anunciar a eliminação de Roberta com quase 80% dos votos.
 
Respondendo à pergunta do título, acho que, até o momento, Leifert está merecendo mais do que Emilly o título de campeão do “BBB17”.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!