Topo

Especial BBB17

Mauricio Stycer

Globo foi covarde ao deixar responsabilidade na mão de Emilly

Reprodução/Gshow
Uma das muitas discussões que Marcos e Emilly tiveram entre a noite de sábado e a manhã de domingo Imagem: Reprodução/Gshow
Mauricio Stycer Maurício Stycer

Mauricio Stycer

É jornalista desde 1986. Repórter e crítico do UOL, autor de um blog que trata da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Maurício Stycer

Colunista do UOL

10/04/2017 00h46

Emilly foi pressionada, coagida, constrangida e ofendida por Marcos entre a noite de sábado (8) e a manhã de domingo (9). Em diferentes momentos ela reclamou de dor física: "Tu apertou meu pulso, tá doendo"... "Marcos, tá doendo"... "Para de me apertar! Para de me machucar."

As cenas, chocantes e assustadoras, foram vistas pelos espectadores do “pay per view” e transbordaram para as redes sociais. O coro pedindo a expulsão de Marcos se tornou o assunto mais comentado no Twitter na tarde de domingo.
 
A primeira coisa que o apresentador Tiago Leifert disse, no início da noite, já mostrou uma compreensão errada da direção do programa sobre os acontecimentos: “Foi uma noite muito difícil para nós aqui e acredito que para vocês que acompanham pelo pay per view e pela internet também. Foi uma madrugada pior. Foi uma manhã muito tensa. As primeiras horas da manhã foram complicadas pra nós”. 
 
Complicadas para quem? 
 
Em seguida, Leifert  deu a dica de que a Globo lavaria as mãos no caso.  “O comportamento do casal nos preocupa. E a gente sabe que preocupa muito vocês também. E as atitudes do Marcos ontem à noite também nos preocupam”. 
 
Preocupa? Só isso?
 
Depois de mostrar todas as cenas, uma mais chocante que a outra, Leifert leu o seguinte texto: 
 
“O BBB é um jogo, é um programa de entretenimento que espelha a vida real. O que nós vimos hoje acontece no mundo real, porém sem as câmeras. Uma discussão como a que aconteceu hoje pode levar a uma agressão física. E isso não é admissível nem no programa nem na vida real. O Big Brother tá preparado para interferir e proteger os participantes. Mesmo assim, hoje, no início da noite, conversamos separadamente com Emilly e Marcos. Dissemos a eles que o comportamento do casal nos preocupa. E preocupa vocês. Conversamos primeiro com Marcos, que foi alertado sobre o seu comportamento e sobre as regras do programa. Depois, a gente falou com a Emilly e reforçou o que é óbvio: ela pode e deve procurar a produção do programa a qualquer momento.”
 
O que se depreende deste discurso oficial: 1. A Globo não considera que ocorreu agressão. 2. A emissora não acha que Marcos infringiu qualquer regra do programa. 3. A Globo entende que cabe a Emilly dizer se foi agredida, ou não.
 
Ora, como bem sabem Leifert, a direção do programa e a direção da emissora, vítimas de qualquer tipo de abuso costumam ter medo de denunciar os agressores, ainda mais se são íntimas deles. A grande diferença entre a vida real e o “Big Brother” são justamente as câmeras. Com a ajuda delas, não é preciso esperar que a vítima tome a iniciativa de procurar a produção do programa.
 
Por tudo isso, considero que a Globo foi covarde ao deixar a responsabilidade de qualquer atitude nas mãos de Emilly. 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!