Topo

Especial BBB18

Chico Barney

Mundo em crise traz assistencialismo de volta ao "BBB"

Reprodução/GlobosatPlay
Gleici e Kaysar conversam na área externa da casa Imagem: Reprodução/GlobosatPlay
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

Especial para o UOL

17/04/2018 17h15

Estamos acompanhando com preocupação uma série de lampejos terríveis sobre o futuro da humanidade. Vivemos momentos de incertezas econômicas, morais e políticas em quase todos os recônditos do mundo.

Se observamos em retrospecto, o século 21 vinha se desenvolvendo de maneira bastante salutar até pouco tempo atrás. Claro que os perigos da sociedade moderna nunca deixaram de se apresentar de maneira vil e cruel, mas agora o medo parece abranger um número maior de pessoas.

A insegurança generalizada acabou trazendo de volta uma postura bastante peculiar do público do "BBB" - a vontade irresistível de ajudar o próximo. Era um modus operandi adormecido há muito tempo, quando o programa conseguiu premiar diferentes tipos de bon vivants, com perfis que foram de Diego Alemão, Munik Nunes e Emilly Araújo.

Mas o cenário político brasileiro e mundial fez com que algumas torcidas passassem a ver seus favoritos como desassistidos cidadãos fazendo malabarismos enquanto o farol não abre. E não se fazem de rogadas na hora de batalhar para que faturem o dinheiro - até porque a carteira, nesse caso, é da Rede Globo.

Os motivos do favoritismo de Kaysar e Gleici, duas figuras interessantes, mas menos importantes na temporada, mostram que os fãs estão preocupados com o contexto social do próximo, o que é bonito. Se a ajuda demandar simplesmente fazer mutirões em enquetes virtuais, melhor ainda.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!