Topo

Especial BBB18

Mauricio Stycer

Depois de tanto marketing da Globo, público acreditou que manda no "BBB"

Reprodução/Gshow
Os vinte participantes da primeira semana do "BBB18" Imagem: Reprodução/Gshow
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

É jornalista desde 1986. Repórter e crítico do UOL, autor de um blog que trata da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Colunista do UOL

01/03/2018 05h01

De tanto falar que o público é que manda no “BBB”, Tiago Leifert agora está ouvindo ofensas e reclamações por causa da novidade anunciada nesta quarta-feira (28). Em um paredão triplo, o público votará para salvar um participante e os outros dois disputarão entre ele o direito de um continuar no jogo.

O peixe morre pela boca. O ditado popular ajuda a explicar a repercussão negativa do  anúncio deste novo “twist” no programa. Não é uma má ideia permitir que dois candidatos duelem entre eles pelo direito de ficar na casa. Em outras versões do reality, em diferentes países, já foram testadas eliminações desta forma.

O problema é que esta solução se choca com o marketing de que todas as decisões no reality cabem aos espectadores. Sempre que pode, Leifert enche a boca para enaltecer o “poder” do público. “Vocês é que fazem o programa”... Pois é. A demagogia está sendo respondida com protestos (veja aqui).

O bom é que, se tinha alguma ilusão, o espectador agora pode ter certeza de que não manda nada. Quem manda é o Big Boss Boninho e o diretor Rodrigo Dourado.

Pessoalmente, gostei da ideia. Vai dar uma sacudida tanto dentro da casa quanto fora. Este “BBB18” reúne o maior número de “bebebólogos” da história do programa. Sabem muito e conseguem prever tudo que vai acontecer. Por isso, é preciso tentar surpreendê-los, mesmo que isso seja quase impossível – alguns deles já especulam sobre um eventual paredão falso com dupla eliminação.

Newsletters

Mauricio Stycer traz análises exclusivas sobre TV e Famosos.

Quero receber