Topo

Especial BBB19

Chico Barney


Danrley decepciona com discurso populista

Danrley faz discurso em almoço especial - Reprodução/GloboPlay
Danrley faz discurso em almoço especial Imagem: Reprodução/GloboPlay
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

Especial para o UOL

09/02/2019 13h05

Quando foi anunciado como um dos participantes do "BBB19", o jovem Danrley parecia o grande favorito. Carismático e com uma história de vida cheia de importantes e inspiradoras superações, tinha tudo para chamar atenção dentro da casa.

O tempo passou e o rapaz ainda não aconteceu. Está tentando ganhar o jogo sem jogar de fato, evitando se envolver na brincadeira lá dentro enquanto flerta apenas com o público aqui fora. Por não oferecer nada de muito interessante para a edição, foi consistentemente ignorado pelo programa diário que vai ao ar na Globo.

Danrley faz questão de lembrar o tempo todo de suas origens de brasileiro desassistido, sempre de maneira calculista para retomar o surrado confronto entre "pobrinhos" e "playboys" que norteou diversas temporadas ao longo de todos esses anos do "BBB".

O problema é que faz isso com muita fleuma e pouca conexão com a audiência. Tenho cá minhas dúvidas que seu discurso celebrando o Tá Com Nada como se fosse uma benção, uma vez que levou uma vida tão sofrida, consiga encantar muita gente. 

Com a recém-adquirida liderança ao lado de Elana, deu mais um show de populismo barato. Ao experimentar o roupão de líder, saiu-se com a seguinte patacoada para justificar que não usaria a peça fora do quarto: "Acho que ele representa uma relação de poder e eu não gosto. Eu quero estar ali como todo mundo".

Ora, faça-me o favor. De tão humilde, é capaz de vir com aquele papo de "gostaria de me indicar ao paredão". Certamente contaria com meu voto para livrá-lo da possibilidade de ganhar o prêmio, que é outra nefasta relação de poder.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Chico Barney