Topo

Especial BBB19

Chico Barney


Boninho finalmente percebeu o óbvio: o público não pode decidir sozinho

Boninho - João Miguel Júnior/Globo
Boninho Imagem: João Miguel Júnior/Globo
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

Especial para o UOL

08/03/2019 10h11

"A democracia é uma delícia, mas tem certos custos". Na vida republicana, não há discussões de que precisamos muito dela. Mas quem disse que é assim que a banda deve tocar em um reality show?

O público do "BBB" precisa ser tutelado. Que tipo de gente, em sã consciência, continua dando 20 pontos no Ibope para um programa em que nada acontece? Não é normal, nem saudável.

E mais ainda: a parcela votante do "BBB" precisa de limites. Como que um paredão entre Hana das Candongas e Hariany das Couves atinge 900 buzilhões de votos? Não é normal, nem saudável.

Uma das soluções para os anos vindouros é o fim dos fandoms, permitindo apenas um voto por CPF. Isso daria outra dinâmica a um jogo que insiste em eliminar os personagens mais controversos antes mesmo de surgir qualquer controvérsia real.

Enquanto isso, a decisão de fazer o público apenas como alavanca para salvar uns emparedados é ótima. Se os participantes dessa temporada não querem se comprometer na brincadeira, agora serão obrigados a eliminar um amiguinho. 

Boninho finalmente entendeu que o público do "BBB" não está apto para decidir os rumos do programa sozinho. Cézar Lima já havia nos ensinado isso há muito tempo.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.