Topo

Especial BBB19

Mauricio Stycer


Ao elogiar Gabriela, Leifert vê a importância de discutir racismo no BBB

Leifert elogiou Gabriela, que falou da questão racial ao pedir votos para permanecer na casa - Reprodução/TvGlobo
Leifert elogiou Gabriela, que falou da questão racial ao pedir votos para permanecer na casa Imagem: Reprodução/TvGlobo
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

04/03/2019 05h01

Em mais uma das muitas interferências de Tiago Leifert no "BBB19", neste domingo (03) ele informou a Gabriela que a justificativa apresentada por ela para permanecer no programa (ela não sabe que o paredão é falso) foi positivamente "inédita".

"Foi bem. Gostei, hein. Usou palavras diferentes, foi uma justificativa inédita, diferente de tudo que a gente já teve aqui", disse o apresentador, no confessionário, após Gabriela falar:

"Estou muito feliz. Acho que é a experiência mais doida que vivi na minha vida. O Big Brother me trouxe amor próprio, a força de uma mulher preta que estava aqui resguardada de tanta porrada que já levei. Tô muito feliz. Queria pedir pra ficar mais pra galera que se identificou ou gostou de mim um pouquinho. E quem não gostou, dá uma olhadinha de novo. Eu sou gente boa."

Ou seja, Gabriela falou que o reality está sendo importante para ela do ponto de vista da sua identidade como mulher negra e pediu votos a quem a enxerga desta forma. 

Há um ano, no quarto paredão do "BBB18", antes de anunciar a eliminação de Nayara com 92,69% dos votos, Tiago Leifert disse:

"Esta casa, especificamente, está com uma outra 'nóia'. Vocês não são mais vocês mesmos. Agora vocês representam algo. 'Ah, eu represento a comunidade X'. 'Fulano representa a comunidade Y'. 'Eu represento sei lá o quê'. Deixa eu falar a real. Ninguém aqui fora deu procuração pra vocês representarem ninguém aí".

O recado, claro, dirigia-se à própria Nayara, entre outros. No segundo paredão, ao votar em Mahmoud, ela havia dito: 

"Eu voto no Mahmoud. Ele já me disse que até por não ter tanto contato com o Viegas, votaria no Viegas. Por ele representar uma ameaça a um candidato preto e eu gostaria muito de ver um dia um preto vencendo esse BBB, ou que consiga chegar mais perto, por esse motivo me sinto no dever de votar no Mahmoud."

Ou seja, Nayara falou da importância que enxergava em o reality ter um candidato negro como vencedor. Não pediu votos para si, mas em defesa de outro participante.

As justificativas de Gabriela e de Nayara são, em essência, semelhantes. Ambas valorizam uma mesma questão importante, ligada à representatividade racial. 

A diferença é que, um ano depois, Leifert parece ver com outros olhos este assunto ser discutido dentro do "BBB". É um avanço. 

Mauricio Stycer