Topo

Especial BBB19

Mauricio Stycer


No desespero, "BBB19" faz história e tira do público o poder de eliminar um

Pela primeira vez em 19 edições, o diretor Boninho deixa a casa decidir quem será eliminado em um paredão - João Miguel Júnior/Globo
Pela primeira vez em 19 edições, o diretor Boninho deixa a casa decidir quem será eliminado em um paredão Imagem: João Miguel Júnior/Globo
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

É jornalista desde 1986. Repórter e crítico do UOL, autor de um blog que trata da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Colunista do UOL

08/03/2019 05h01

Para quem achava que o "BBB19" estava morto, o diretor Boninho tirou da cartola um recurso que sempre foi considerado um tabu na versão brasileira do programa: deixar que os próprios participantes decidam quem será eliminado.

Esta opção já foi e ainda é utilizada na versão americana do reality show, mas nunca foi cogitada no Brasil. Aqui, o "Big Brother" desde o início se destacou por ser um programa decidido pelo público. 

O paredão desta semana será quádruplo. O público vai votar para salvar dois. Ao anunciar que caberá aos participantes escolher, entre os dois menos votados, quem sairá, Tiago Leifert fez história. 

Boninho decidiu se render justamente num momento crítico - o "BBB19" tem sido considerado por muitos fãs como a pior edição da história do programa. Pode ser entendido, neste sentido, como um gesto de desespero do diretor para surpreender e quebrar o ritmo da casa.

Por outro lado, para os mais puristas, esta opção de deixar na mão dos participantes a decisão final pode estar sendo vista como uma heresia, uma descaracterização do "BBB". Não é.

Pessoalmente, acho uma experiência válida. Estou bem curioso para ver, na terça-feira (12), como será esta eliminação interna.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL