PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Sincero ao estrear no “The Voice”, Michel Teló diz que sertanejo “apelou”

Mauricio Stycer

02/10/2015 00h08

thevoice2015juradosPrincipal novidade da quarta edição do "The Voice Brasil", Michel Teló começou muito bem tendo um ataque de sinceridade. Depois de ouvir um candidato que interpretou um sucesso de Cristiano Araujo (1986-2015) claramente na tentativa de sensibilizá-lo, o cantor o rejeitou de forma bem objetiva. "Você apelou", disse.

Superado este raro momento, exibido logo na primeira parte do programa, Teló logo se adaptou ao padrão de bajulação dos demais técnicos, Carlinhos Brown, Lulu Santos e Claudia Leitte. Mais do que em edições anteriores, os jurados abusaram da encenação de implorar por atenção dos candidatos escolhidos – uma situação forçada e artificial.

Outro problema da estreia foi a falta de sincronia da exibição em várias cidades. Para um programa que aposta muito na interação com o público via redes sociais, essa situação é um desastre. Espectadores de São Paulo, que começaram a ver antes, informavam pelo Twitter a gente de outros lugares os resultados das audições.

thevoice2015claudialeittePara decepção de parte do público, Claudia Leitte abandonou, como havia prometido, os vistosos decotes usados no ano passado – apareceu com uma camisa fechada e gravatinha de garçom na estreia.

Também chamou a atenção a impactante abertura. O programa começou com um número musical, seguido dos comentários dos técnicos, sem nenhuma introdução. Foi uma mostra clara que a figura do apresentador é, de fato, dispensável no "The Voice".

O blog está no Twitter e no Facebook.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.