PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

“Vai ficar estranho”, diz Fátima sobre decisão da Globo de ignorar a Vila

Mauricio Stycer

08/02/2016 23h28

A Globo começou a transmissão dos desfiles do segundo dia do grupo Especial do Rio por volta das 22h45 de segunda-feira (08), quando a Vila Isabel ainda passava pelo Sambódromo. A situação confundiu os narradores da emissora, Luis Roberto e Fátima Bernardes, já que eles se viram impedidos de descrever o final do desfile da escola de Martinho da Vila.

A abertura com a Vila Isabel passou ao vivo somente pelo portal G1, mas sua apresentação acabou cerca de 20 minutos antes do fim, com ainda dois carros por passar.

carnaval2016luisefatimaNum áudio que vazou para os espectadores, Luis Roberto pergunta: "Faltam duas alegorias. Isso não vai ser narrado pra Globo? Pro compacto?" A resposta não é ouvida, mas possivelmente foi "não" já que Fátima observa: "Nossa, se o compacto ficar sem esse final vai ficar muito estranho."

Como tem feito já há alguns anos, por causa da queda de audiência, a Globo dá início às transmissões do Carnaval com o desfile já em andamento e exibe, ao final, um compacto com a apresentação da primeira escola. Este ano, a emissora cogitou não mostrar as duas primeiras escolas de cada noite, mas acabou recuando.

Estácio de Sá (domingo) e Vila Isabel (nesta segunda) foram as escolas prejudicadas em 2016. Ouça abaixo o áudio que vazou:

Atualizado às 10h30: Já na manhã desta terça-feira, a Globo exibiu um compacto de cerca de 45 minutos do desfile da Vila Isabel, encerrado abruptamente por Luis Roberto com uma imagem da atriz Aghata Moreira, logo depois da passagem da ala Teatro dos Mamelungos — sem mostrar o final da escola. Como previu Fátima, ficou estranho.

Agradeço ao Edu César e ao Renato JG pelo registro do áudio que vazou.

Veja também
TV Globo não vai transmitir desfile da Vila Isabel ao vivo

O blog está no Twitter e no Facebook.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.