Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

Sem conseguir acordo, emissoras do Simba recuam e aceitam voltar à TV paga

Mauricio Stycer

2029-06-20T17:17:19

29/06/2017 17h19


As emissoras que formam a Simba desistiram de esperar fora da TV paga por um acordo de remuneração com as operadoras. Elas agora querem que os seus sinais voltem a ser exibidos pelos grupos Net-Claro, Sky, Oi e Vivo em São Paulo e Brasília mesmo sem terem concluído as negociações.

O recuo de Record, SBT e RedeTV! se dá sob o pretexto de que estão atendendo a um pedido de associações de defesa de consumidores. Na prática, é o reconhecimento de que a estratégia de conflito, deflagrada em 29 de março, não funcionou. O trio ainda tem a expectativa de vir a receber por seus sinais, mas mudou de estratégia.

A forma de atenuar a derrota foi anunciar que houve um "acordo" com duas associações de consumidores. Uma delas é o Inadec (Instituto Nacional de Defesa do Consumidor), fundado por Celso Russomanno, que apresenta programa na Record. A outra é a Proteste.

A Simba considera que o recuo ocorre sem prejuízo do direito de negociar e das ações judiciais em andamento.

O anúncio não significa que o sinal será restabelecido. A Proteste e o Inadec devem encaminhar a informação sobre a disposição da Simba para a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça, na expectativa de que o órgão tome alguma providência.

Há três semanas, o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), vinculado à Senacon, instaurou processos administrativos contra as principais operadoras de TV paga do país por conta do impasse com a Simba.

Uma das provocações à Senacon para que instaurasse a ação veio justamente do Inadec. A Proteste, na ocasião, informou ao blog que apoiou a iniciativa da associação de Russomano.

Em resumo, o recuo se dá sem que nenhum acordo tenha sido estabelecido entre as partes interessadas – Simba, de um lado, operadoras de TV paga, do outro. A solução a que se chegou é a famosa "saída honrosa".

Na visão das emissoras que formam a Simba não se trata de um recuo, mas de um gesto de conciliação que vai aumentar a pressão sobre as operadoras.

Simba divulga nota

A empresa que reúne Record, SBT e RedeTV! divulgou no início da noite uma nota sobre a evolução das suas tratativas com as operadoras de TV paga. Segue a íntegra:

"A Simba vem esclarecer que, diferentemente do que está sendo noticiado de forma equivocada, não encerrou as negociações dos sinais das empresas que representa. Continuamos perseguindo a negociação em torno de um valor justo, de forma equilibrada e de boa fé com todas as operadoras.

Sabemos que esta negociação trouxe impactos aos milhões de assinantes e, por esse motivo, ao sermos consultados pela entidade de defesa do consumidor Proteste sobre nossa concordância ou não em retornar com os sinas de RecordTV, RedeTV e SBT de forma temporária enquanto avançam as negociações, a Simba se posicionou favorável a isso, desde que fiquem preservados integralmente os diretos de negociar os sinais das emissoras de forma onerosa e sem prejuízo das ações em andamento.

Cabe agora às operadoras avaliarem a mesma disposição. Estamos empenhando todos os esforços no sentido de concretizar essa negociação na maior brevidade possível em benefício de todos."

Assessoria de Imprensa da Simba Content

Atualizado às 20h13.

Veja também
Ministério da Justiça instaura processo contra operadoras de TV paga
Ricardo Feltrin: Simba pediu que operadoras mantivessem TVs abertas em Goiânia
Daniel Castro: Record e SBT aceitam receber centavos, e negociações avançam

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.