Topo
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Básico e sem a intenção de inovar, “SP Record” busca ser útil ao espectador

Mauricio Stycer

26/07/2017 11h13


Em meio a outras novidades que a Record estreou nesta terça-feira (25), o novo telejornal local, "ensanduichado" entre a reprise de "Os Dez Mandamentos" e a nova "Belaventura", acabou não chamando tanto a atenção. O que é uma injustiça. O "SP Record" representa uma mudança importante na programação da emissora.

Apresentado por Carla Cecato, o noticiário das 19h05 deixou bem claro em sua primeira edição o que pretende: informação sobre a cidade, com ênfase em problemas urbanos de primeira necessidade para o espectador, como trânsito, violência, saúde etc, além de serviços, como meteorologia.

Com a apresentadora em pé, links ao vivo de diferentes pontos da cidade, pautas sobre questões que dizem respeito ao dia-a-dia, o "SP Record" não procurou inovar em relação a outros programas do tipo, mas preencheu uma lacuna no horário.

Se, de um lado, esvaziou o "Cidade Alerta", como observei dias atrás, a Record buscou compensar com a oferta deste noticiário básico, porém útil e não apelativo – e, quem sabe, conseguir atrair alguma publicidade. Não posso deixar de saudar esta estreia e desejar sucesso na empreitada.

É impossível não observar que a grade da Record, com as novas mudanças, se assemelha ainda mais com a da Globo neste horário. Veja.

18h15 – Os Dez Mandamentos
19h05 – SP Record
19h45 – Belaventura

18h17 – Novo Mundo
19h04 – SP TV
19h21 – Pega Pega

A principal diferença, ainda, é o horário seguinte ao da novela das 19h. A Record aposta no confronto da sua novela principal, hoje "O Rico e Lázaro", com o "Jornal Nacional", e deixa o seu maior telejornal, "Jornal da Record", bater de frente com a novela mais importante da concorrente, hoje "A Força do Querer".

Abaixo, a abertura da primeira edição do telejornal:

Veja também
Cidade Alerta perde prestígio e deixa de ser nacional na nova grade da Record

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Mauricio Stycer