Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

Primeiras 2 estreias do SBT em 2019 são programas velhos, batidos e rodados

Mauricio Stycer

05/01/2019 05h01


Janeiro já não é mais mês de férias na TV aberta há alguns anos. Forçada pela Globo, que tem lançado muitas novidades no primeiro mês do ano, a concorrência está correndo atrás. Mas cada um do seu jeito. O SBT, por exemplo, estreia dois programas velhos neste final de semana – o mais novo deles tem sete anos de vida.

Neste sábado (05), às 18h30, estreia a minissérie "Pássaros Feridos", exibida originalmente pela emissora em 1985. Trata-se da enésima reprise da história do amor impossível entre um padre e uma mulher que ele criou quando pequena. A novidade é a promessa de uma cópia restaurada. Numa chamada que parece escrita por Silvio Santos, o locutor anuncia: "'Pássaros Feridos' voltam ao SBT totalmente recuperados, estão com ótima saúde".

Em sua primeira exibição, a série se tornou lendária pela estratégia de promoção inventada por Silvio Santos. Era época de "Roque Santeiro", sucesso avassalador da Globo. Para evitar esta concorrência indesejada, o dono do SBT avisou na véspera da estreia. "Logo depois da novela da Globo vocês poderão assistir a um filme sensacional". Foi uma surra no Ibope. "Durante cinco noites consecutivas, a segunda maior rede de televisão do país foi a primeira", festejou o SBT em 1985.

A segunda estreia do SBT em 2019 ocorre no domingo (05), após o "Programa Silvio Santos". A emissora vai inaugurar uma sessão intitulada "O Crime não Compensa", formada por documentários e séries sobre crimes e investigações. O primeiro é "Até Que a Morte Nos Separe", uma série sobre crimes passionais célebres, reconstituídos por psicólogos, psiquiatras, promotores e investigadores, além de depoimentos das famílias das vítimas e dos acusados/assassinos também.

O episódio de estreia é "O Promotor Fugitivo", sobre Igor Ferreira, promotor público acusado de assassinar a própria esposa, Patricia Aggio, grávida de oito meses.

"Até Que a Morte Nos Separe" foi exibido originalmente em 2012 pela canal pago A&E. Atualmente está no catálogo da Netflix, assim como outras séries que o SBT planeja exibir na sessão "O Crime Não Compensa".

É legal Silvio Santos se preocupar em oferecer novidades em janeiro, mas podia se programar melhor e ir além de programas velhos, batidos e rodados. Por outro lado, esta estratégia preguiçosa tem rendido bons frutos. Como registrou Cristina Padiglione em seu blog esta semana, o SBT foi a rede que mais cresceu e menos investiu em 2018, em relação a Globo e Record.

Três vezes Larissa Manoela

A atriz interpretou dois papéis na novela "Cúmplices de um Resgate"

Nesta segunda-feira (7), o SBT volta a exibir, na faixa das 21h30, a novela "Cúmplices de um Resgate". Apresentada originalmente entre 3 de agosto de 2015 e 13 de dezembro de 2016, a trama infantil traz Larissa Manoela em dose dupla, como as gêmeas Manoela e Isabela, que cresceram separadas sem saber da existência uma da outra.

Larissa já está no ar em outras duas novelas, na nova "As Aventuras de Poliana", às 20h50, e em outra reprise, "Carrossel" (2012-13), exibida mais cedo, às 18h15.

Agradeço ao leitor Didigo Santini por me lembrar da estreia desta reprise de "Cúmplices de um Resgate".

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.