Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

Negociações para criação da CNN Brasil duraram mais de um ano

Mauricio Stycer

14/01/2019 16h31

O interesse da CNN Internacional em licenciar a sua marca no Brasil é antigo. Vários supostos interessados foram mencionados nos últimos anos, mas nunca se chegou nem perto de um acordo.

O anúncio do acordo de licenciamento com o empresário Rubens Menin (abaixo) e o jornalista Douglas Tavolaro (à dir.) pegou muita gente de surpresa, mas as conversas com a CNN já vinham ocorrendo há mais de um ano, segundo uma fonte do blog.

Tavolaro atuará como CEO da CNN Brasil e Menin como presidente do Conselho de Administração. O futuro executivo do canal de notícias era, até esta segunda-feira (14), vice-presidente de jornalismo da Record. O empresário é fundador e presidente do Conselho de Administração da MRV Engenharia, a maior construtora residencial e imobiliária do Brasil, do Banco Inter e da LOG Commercial Properties.

Poucas informações foram divulgadas até o momento. A intenção da CNN Brasil é funcionar ainda em 2019. A empresa, que vai nascer do zero, terá sede em São Paulo e escritórios no Rio e em Brasília. Fala-se na contratação de 400 profissionais.

O tamanho do investimento para tal empreendimento não foi divulgado. Também não foi informado se, além de Menin e Tavolaro, há outros sócios por trás da CNN Brasil.

A CNN Internacional tem uma divisão que cuida do licenciamento de sua propriedade. Países em que a empresa fechou negócios do mesmo tipo que o anunciado no Brasil incluem Argentina, México, Suíça, Indonésia, Filipinas, Índia.

As negociações entre a CNN Internacional e o grupo brasileiro foram longas, como costumam ser em negócios deste tipo. Antes de chegar a um acordo, a empresa americana submeteu os compradores a um processo de "due dilligence", uma investigação sobre os sócios.

A CNN Internacional não tem qualquer participação acionária no empreendimento, mas o licenciamento da propriedade, e não apenas da marca, inclui uma série de compromissos. A CNN Brasil vai poder usar parte do conteúdo da CNN Internacional e a empresa americana vai ajudar no treinamento dos profissionais. A linha editorial é totalmente independente.

A distribuição do sinal da CNN Brasil nas operadoras de TV paga será feita pela Turner, empresa que é dona da CNN. Os canais CNN International e CNN en Español continuarão disponíveis no país e não fazem parte do licenciamento da CNN Brasil.

Veja também
Ex-chefão do jornalismo da Record, Douglas Tavolaro comandará CNN no Brasil

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.