Topo
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Globo sobe o tom e sugere que Bolsonaro mentiu ao falar sobre Miriam Leitão

Mauricio Stycer

19/07/2019 22h34

A jornalista Miriam Leitão, comentarista de economia da Globo

Em nota oficial lida por Renata Vasconcellos no "Jornal Nacional", a Globo acusou o presidente Jair Bolsonaro de mentir ao falar sobre Miriam Leitão nesta sexta-feira (19) em café da manhã com jornalistas estrangeiros.

Segundo relatos de quem participou do encontro, Bolsonaro afirmou que a jornalista do Grupo Globo foi presa, no final dos anos 1960, ao se dirigir para a região do Araguaia "para tentar impor uma ditadura no Brasil". Ainda segundo o presidente, a jornalista "mente" ao dizer que foi torturada e vítima de abuso em instalações militares durante a ditadura militar.

Disse a apresentadora do JN: "Em defesa da verdade histórica e da honra da jornalista Miriam Leitão é preciso dizer com todas as letras que não é a jornalista que mente. Miriam Leitão nunca participou ou quis participar da luta armada. À época militante do PC do B, Miriam participou de atividades de propaganda. Ela foi presa e torturada grávida aos 19 anos."

Miriam Leitão foi assunto do café da manhã do presidente por causa do cancelamento de sua participação na 13ª Feira do Livro de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, após protestos de moradores da cidade. "Os jornalistas cobraram do presidente um comentário sobre o ato de intolerância" de que a jornalista foi vítima, registrou o JN.

Curiosamente, nenhum telejornal da Globo julgou digno de ser noticiado este caso no dia em que ocorreu e nos dias seguintes. Apenas uma afiliada da emissora, em Santa Catarina, registrou o fato, repudiando a intolerância contra Miriam.

A nota lida por Renata Vasconcellos registra que Miriam também foi "alvo constante de ataques" durante os governos do PT (Lula e Dilma) entre 2003 e 2016 (veja a íntegra aqui).

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mauricio Stycer