Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

“Equipe rubro-negra” da Fox 2 faz transmissão comedida, sem exageros

Mauricio Stycer

02/10/2019 23h28

Bruno Henrique faz 1 a 0 para o Flamengo na Arena do Grêmio

O Fox Sports surpreendeu o mercado com a proposta de fazer duas transmissões simultâneas do empate em 1 a 1 entre Grêmio e Flamengo pela semifinal da Libertadores. Além da equipe titular no estádio, no canal principal, escalou um outro time, no estúdio, para apresentar o jogo no segundo canal.

Em contraste a Nivaldo Prieto, PVC e Edmundo, que fizeram uma transmissão normal, neutra, o segundo canal, com João Guilherme, Zinho e Nunes, se propôs a apresentar uma visão do jogo sob a perspectiva do torcedor do Flamengo.

Na prática, não foi assim. O narrador deu o tom de sobriedade desde o início. "Que vença o melhor", pediu João Guilherme. O comentarista, apesar da identificação com o Flamengo, foi igualmente bastante sóbrio nas suas análises. "O Grêmio precisa se impor mais", reclamou Zinho no primeiro tempo.

Apenas o ex-artilheiro atuou muito mais como torcedor do que comentarista. "Sou flamenguista, todo mundo sabe. É claro que vou torcer pro Flamengo", anunciou Nunes. E não mentiu. "Infelizmente, Arrascaeta não levou sorte nesse lance aí", lamentou no primeiro tempo. "Tô gostando do time. Gabigol teve essa oportunidade, mas infelizmente chutou pra fora", suspirou.

Néstor Pitana confere um dos três gols do Flamengo que anulou na partida

A comentarista de arbitragem, Nadine Bastos, foi igualmente sóbria ao longo de toda transmissão. Considerou corretas todas as decisões do VAR, que anulou três gols do Flamengo. Não viu problemas nas marcações de Néstor Pitana e elogiou os cartões amarelos dados aos jogadores dos dois times.

Nem Nunes reclamou da "atuação" do VAR, que anulou três gols do seu time, mas só elogiou o árbitro argentino quando ele aplicou cartão amarelo em Tardelli, do Grêmio. "O jogador merecia esse cartão".

"Início de segundo tempo, mas você já vê uma postura melhor do Grêmio", observou Zinho. Até Nunes concordou que o seu time estava pior, mas torceu: "O Flamengo tem que se articular pra sair no contra-ataque". Pouco depois, lamentou e reconheceu: "O Flamengo recuou. O Grêmio tá melhor".

O gol de Bruno Henrique foi narrado com entusiasmo por João Guilherme, como seria de se esperar de qualquer narrador. "Toca a música! É gol do Mengão. Ele lembra o Nunes, o artilheiro das grandes decisões. Tem que respeitar o Bruno Henrique", disse o narrador. Com a mesma alegria e empolgação, João Guilherme narrou o gol de Pepê, do Grêmio, que empatou a partida, aos 42 do segundo tempo.

A registrar apenas um raro momento fora do tom, extra-jogo, de João Guilherme. Quando a partida estava 1 a 0, ele resolveu fazer considerações sobre o elenco rubro-negro, com palavras elogiosas à direção do time. "Flamengo foi cirúrgico nas contratações", disse. Já ao narrar o terceiro gol anulado do Flamengo, já no segundo tempo, João Guilherme lembrou Cleber Machado numa narração clássica de F-1: "Gabigol! Hoje tem! Hoje tem! Hoje não tem!"

O torcedor Nunes, naturalmente, lamentou o empate. "O Flamengo recuou. Tinha que ter garantido a vitória", disse ao final.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.