Topo
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Atores mirins de Bom Sucesso fazem o “fofurômetro” explodir todo capítulo

Mauricio Stycer

14/10/2019 05h01

Peter (João Bravo) como Peter Pan e Sofia (Valentina Vieira) como Wendy em cena de Bom Sucesso. Foto: Globo/Estevam Avellar

Entre as muitas qualidades de "Bom Sucesso", chama cada vez mais atenção o espaço ocupado na trama por duas crianças, Peter e Sofia, vividos por João Bravo e Valentina Vieira, ambos de 10 anos de idade.

A menina tem emocionado o público ao dividir o protagonismo de cenas importantes na trama das 19h30 da Globo com Antônio Fagundes (Alberto) e Fabíula Nascimento (Nana). Já o menino, contracenando com Grazi Massafera (Paloma) e todo o núcleo de Bonsucesso, adicionou doses de humor e ironia vivendo um atrevido e pequeno youtuber.

João Bravo já tem alguma experiência como ator mirim. Estreou em "A Força do Querer" (2017), como Dedé, filho da protagonista Bibi Perigosa (Juliana Paes), e atuou também em alguns episódios de "Ilha de Ferro" (2018) e na primeira fase de "Verão 90" (2019). Já Valentina Vieira está fazendo a sua estreia justamente na atual novela.

No capítulo de sábado, o nome da atriz mirim chegou aos assuntos mais comentados no Twitter depois que a personagem chorou em cena, vendo o avô desfalecido e sem vontade de viver. Ela implorou que a mãe chamasse Paloma para reanimar Alberto, levando Nana, finalmente, a concordar.

Sofia (Valentina Vieira) chora ao pedir a mãe (Fabíula Nascimento) que chame Paloma para acudir seu avô

Segurando uma folha de pano que Paloma deu de presente para Alberto, Sofia disse: "Eu acho que essa flor é igual a rosa de 'A Bela e a Fera'. É um sinal. A Paloma é a Bela e o vovô é a Fera. Se a Paloma não voltar, meu vô vai morrer, que nem a Fera."

Nana tenta convencer a filha que uma flor de pano não pode murchar. "Você está confundindo, misturando as coisas". Mas Sofia insiste. "Não, tenho certeza. Mãe, eu só quero um presente de Natal esse ano. Você tem que trazer a Paloma de volta". E abraçando Nana, acrescenta: "Tenho certeza. Se a Paloma voltar, meu vô vai viver de novo". É o que a mãe fará no capítulo desta segunda-feira (14)

Ainda nesta semana, segundo previsão dos capítulos divulgados, a dupla de atores mirins vai fazer o "fofurômetro" explodir novamente. Peter e Sofia vão surgir caracterizados como Peter Pan e Wendy, numa espécie de sonho, no desenvolvimento de uma cena em que Paloma (Grazi Massafera) lê trechos da obra de J. M. Barrie para o filho. A imagem no alto deste texto, divulgada pela Globo, dá uma ideia do que vem por aí.

O sucesso de Peter e Sofia é resultado de uma combinação de fatores. Em primeiro lugar, a qualidade do texto de Rosane Svartman e Paulo Halm, que trata ambos como crianças de 10 anos, sem sugerir precocidade, mas também sem mostrá-los como idiotas. Em segundo lugar, é notável a respeitosa interação dos atores principais, em especial Fagundes, Fabíula e Grazi, com as duas crianças.

E, por fim, e talvez o mais importante, João Bravo e Valentina Vieira esbanjam carisma e talento aos 10 anos de idade. Ambos parecem ter qualidades essenciais a um ator, como imaginação e criatividade. É de tirar o chapéu.

Em seu perfil no Instagram, Valentina Vieira falou da cena que mencionei aqui. Veja o que ela escreveu:

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Mauricio Stycer