Topo
Blog do Nilson Xavier

Blog do Nilson Xavier

Brichta canta rock num dos capítulos mais empolgantes de “Rock Story”

Nilson Xavier

26/04/2017 22h15

Tony Bellotto, Vladimir Brichta, Paula Toller e Paulo Ricardo (Foto: Felipe Monteiro/TV Globo)

Pareceu último capítulo de novela. Só que não. Faltando ainda pouco mais de um mês para o seu término, "Rock Story" se reinventa. Essa é uma de suas maiores qualidades. A autora Maria Helena Nascimento não poupa história: as tramas não demoram a resolver e são substituídas por outras, e outras, e outras. Uma novela candidata a "Peyton Place" (*) tupiniquim. Ou uma "Redenção" (**) – claro que não é essa a ideia!

O capítulo dessa quarta (26/04) foi um dos mais empolgantes de "Rock Story". Parecia mesmo final de novela. Muito por conta do show de Vladimir Brichta – o Gui Santiago – cantando (sim, com a voz dele mesmo!) num palco com Tony Bellotto, Paula Toller e Paulo Ricardo, seguido de um pedido de casamento à mocinha Júlia (Nathalia Dill). Foi um "showzaço" do ator-cantor em que toda a equipe da novela brilhou.

Outra qualidade de "Rock Story" (decorrente da agilidade da trama): os ganchos (o clímax que encerra o capítulo) sempre muito bons. Poucas novelas conseguem se segurar em ganchos assim por 180, 200 capítulos. "Rock Story" consegue.

Mas a maior qualidade da novela das sete ainda é a sua narrativa "fora da curva", que foge da mesmice e do clichezão de toda novela (maniqueísmo, excesso de chavões de folhetim, entrechos batidíssimos) sem a pretensão de "revolucionar o gênero". Recentemente, tivemos a morte da gêmea má da mocinha. Você já viu uma novela abrir mão desse recurso super manjado (a gêmea má) no meio da trama?

Diana (Alinne Moraes) e Júlia (Nathalia Dill) (Foto: Felipe Monteiro/TV Globo)

Mesmo assim, a autora, às vezes, escorrega no melodrama. No início, Diana, a antagonista vivida por Alinne Moraes (excelente no papel), era mais humana. Agora está loucamente apaixonada pelo ex Gui (Brichta) e apela aos meios mais escabrosos para melar o romance dele com Júlia. Chega muito perto das piores (ou melhores) vilãs da Televisa.

Outro deslize: até semana passada, rendeu a trama da secretária Nanda (Kizi Vaz) que, totalmente enlouquecida, armou uma arapuca estapafúrdia para separar seu amado Gordo (Herson Capri) de Eva (Alexandra Richter).

Esses detalhes desabonam "Rock Story"? Acho que não! O saldo é positivo quando analisamos o conjunto da obra. E de sobra, personagens deliciosos e divertidos, num elenco super entrosado e a excelente direção de Maria de Médicis, Dennis Carvalho e equipe.

Leia também, Maurício Stycer: "Com abraço de mãe em filha, novela ensina como combater a homofobia".
(*) "Peyton Place" ("A Caldeira do Diabo"), novela americana da década de 1960, baseada no romance homônimo, que ficou anos em cartaz.
(**) "Redenção", a mais longa telenovela brasileira, exibida pela TV Excelsior entre 1966 e 1968, em 596 capítulos.
Siga no FacebookTwitterInstagram

Sobre o autor

Nilson Xavier é catarinense e mora em São Paulo. Desde pequeno, um fã de televisão: aos 10 anos já catalogava de forma sistemática tudo o que assistia, inclusive as novelas. Pesquisar elencos e curiosidades sobre esse universo tornou-se um hobby. Com a Internet, seus registros novelísticos migraram para a rede: em 2000 lançou o site Teledramaturgia (http://www.teledramaturgia.com.br/), cujo sucesso o levou a publicar o Almanaque da Telenovela Brasileira, em 2007.

Sobre o blog

Um espaço para análise e reflexão sobre a produção dramatúrgica em nossa TV. Seja com a seriedade que o tema exige, ou com uma pitada de humor e deboche, o que também leva à reflexão.

Blog do Nilson Xavier