PUBLICIDADE
Topo

Blog do Nilson Xavier

40 anos de "Dona Xepa" - 10 curiosidades sobre a novela

Nilson Xavier

24/05/2017 10h39

Yara Côrtes como Dona Xepa

Considerada um clássico da história de nossa televisão, a novela "Dona Xepa" completa, neste dia 24 de maio, 40 anos de sua estreia. Adaptada por Gilberto Braga a partir da peça teatral de Pedro Bloch, o folhetim fez o maior sucesso no ano de 1977 e marcou definitivamente a carreira da saudosa atriz Yara Côrtes, que deu vida à personagem-título. A seguir, 10 curiosidades sobre essa produção.

1. Recorde de audiência

Foi a recordista de audiência para o horário das seis até então. Era a quarta novela de Gilberto Braga nesta faixa (anteriormente, entre 1975 e 1977, ele escreveu "Helena", "Senhora" e "Escrava Isaura"). Com a grande audiência de "Escrava Isaura" e "Dona Xepa", Gilberto finalmente foi designado para escrever às oito da noite: em 1978, levou ao ar "Dancin´ Days", outro clássico.

Heitor (Rubens de Falco) e Rosália (Nívea Maria)

2. Yara e Nívea

A novela consagrou a já veterana atriz Yara Côrtes, que viveu a sofrida e simplória feirante Xepa. Nívea Maria, no papel da ambiciosa e pouco escrupulosa Rosália, filha de Xepa, deixava de lado as suas personagens cândidas para viver uma vilã. Ismael Fernandes comentou em seu livro "Memória da Telenovela Brasileira": "Yara Côrtes exagerou um pouco em sua criação. E Nívea Maria não se contentou com o segundo papel."

3. Herval Rossano

O diretor era Herval Rossano, responsável por todo o núcleo das seis horas na época. Como ator, Herval já vivera Edson, o filho de Xepa, em 1959, na versão cinematográfica da história. No filme de Darcy Evangelista, a protagonista foi interpretada por Alda Garrido.

Isabel (Ida Gomes) e Otávio (Claudio Cavalcanti)

4. Quebrou um padrão

"Dona Xepa" quebrou um padrão da época. Desde 1975, quando a faixa das seis fora definitivamente implantada para exibição de novelas (horário tradicional até hoje), esta foi a primeira vez que era produzida uma trama contemporânea, baseada em uma peça teatral. Todas as anteriores eram novelas de época baseada em romances clássicos da Literatura Brasileira.

5. Gravações externas

As cenas externas foram gravadas no Mercado de São Cristóvão, na Estrada Velha da Tijuca e no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro. Os planos gerais do movimento da feira foram feitos na praça General Osório, em Ipanema.

Agenor (Dionísio Azevedo), Xepa (Yara Côrtes), Corina (Zeni Pereira) e Saraiva (Fregolente)

6. Sucesso internacional

"Dona Xepa" foi vendida para cerca de 10 países. Em 1981, obteve grande audiência em Portugal, fazendo inclusive com que o então primeiro-ministro Mário Soares esperasse o fim da trama para anunciar novas medidas econômicas naquele país.

7. Trilha sonora

Foi a primeira novela do horário das seis a ter uma trilha sonora lançada em LP, com 14 músicas – as anteriores eram compactos (discos pequenos) com 6 faixas. O tema de abertura é a música que automaticamente remete à novela: "A Xepa", composta e gravada por Ruy Maurity: "Final de feira, legumes baratos, meninos mulatos enrolam nos trapos os restos do prato que o dia-a-dia deixou pelo chão / Epa, mais vale uma xepa na boca da gente que o corpo doído, faminto, doente e o amor esquecido de um coração".

Xepa (Yara Côrtes) e Daniel (Edwin Luisi)

8. Adaptação disfarçada

Em 1990, Gilberto Braga participou do argumento de uma nova versão de "Dona Xepa" para a TV. Era a novela "Lua Cheia de Amor", escrita por Ana Maria Moretzsohn, Ricardo Linhares e Maria Carmem Barbosa, em que foi aproveitada a ideia original da peça teatral. Mas tratava-se de uma adaptação disfarçada. A feirante Xepa virou a camelô Genu, vivida por Marília Pêra.

9. Remake na Record

Em 2013, a TV Record produziu uma nova versão de "Dona Xepa", adaptada por Gustavo Reiz. Ângela Leal foi a feirante protagonista, e os dois filhos carreiristas eram Thaís Fersoza (Rosália) e Arthur Aguiar (Edson). Só que a repercussão não foi a mesma.

Xepa (Yara Côrtes) e Agenor (Dionísio Azevedo)

10. Reprises

"Dona Xepa" foi a novela que estreou a faixa vespertina de reprises "Vale a Pena Ver de Novo", em 5 de maio de 1980. Antes, já existiam reprises à tarde, mas não com o título "Vale a Pena Ver de Novo". A novela também foi reapresentada, num compacto de uma hora e meia, em 28 de janeiro de 1980, como atração do "Festival 15 Anos" da Globo (apresentação de Yara Côrtes).

AQUI tem tudo sobre "Dona Xepa": elenco completo, personagens, núcleos, trama, trilha sonora e mais curiosidades.
Fotos: Acervo Globo.
Siga no FacebookTwitterInstagram

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Nilson Xavier é catarinense e mora em São Paulo. Desde pequeno, um fã de televisão: aos 10 anos já catalogava de forma sistemática tudo o que assistia, inclusive as novelas. Pesquisar elencos e curiosidades sobre esse universo tornou-se um hobby. Com a Internet, seus registros novelísticos migraram para a rede: em 2000 lançou o site Teledramaturgia (http://www.teledramaturgia.com.br/), cujo sucesso o levou a publicar o Almanaque da Telenovela Brasileira, em 2007.

Sobre o blog

Um espaço para análise e reflexão sobre a produção dramatúrgica em nossa TV. Seja com a seriedade que o tema exige, ou com uma pitada de humor e deboche, o que também leva à reflexão.

Blog do Nilson Xavier