Topo
Blog do Nilson Xavier

Blog do Nilson Xavier

"A Dona do Pedaço" se passa no Espírito Santo, mas tem quase nada do estado

Nilson Xavier

23/05/2019 21h08

Marcos Palmeira, Juliana Paes e Luiz Carlos Vasconcelos (foto: João Miguel Jr/TV Globo)

A história da nova novela da Globo, "A Dona do Pedaço", é ambientada, a princípio, no interior do estado do Espírito Santo, em uma fictícia região chamada Rio Vermelho. A trama começa nos anos 1990, em terras capixabas, para depois se estabelecer em São Paulo, na atualidade. Porém, para representar o Espírito Santo, a direção optou por colher imagens no Rio Grande do Sul. Os capixabas devem estar se perguntando o porquê dessa escolha, em vez de mostrar as belezas do próprio estado onde acontece a história.

Recebi uma mensagem de um leitor que me fez refletir sobre o assunto. Não conheço o Espírito Santo, não estou familiarizado com suas paisagens. Do pouco visto na novela, as imagens remetem a qualquer lugar, do Brasil ou fora. Acho que o capixaba Lucas Inácio, morador de Vitória, está coberto de razão em seu desabafo. Leia:

Imagem aérea da Terceira Ponte e do Convento da Penha, ES (reprodução)

"Estou acompanhando a nova novela das nove e tenho achado confuso o cenário idealizado por Walcyr Carrasco para iniciar a trama. Sou do Espírito Santo, onde se passa os primeiros anos da novela, e vi, até agora, poucos elementos que ambientam a trama por aqui. O endereço 'cangaceiro', sem qualquer referência do estado, e as poucas imagens de Vitória são difusas. As cenas da praia, nota-se que não foram gravadas aqui, inclusive o momento em que uma das sobrinhas de Juliana Paes quase é atropelada no centro da capital (suponho).

Não entendi, sinceramente, por que a necessidade de ambientar e fazer citações a um estado, sendo que as gravações ocorreram em outras regiões do país. Na minha observação, essas imagens desfocadas, com ângulos fechados, empobrecem a história. As cenas que mostram a Terceira Ponte (ícone turístico de Vitória) são, em salvo engano, noturnas. Não tiveram o cuidado de inserir imagens da década de 90. Acho que escolheram cenas noturnas para evitar contradição, pois, em vinte anos, o entorno da ponte ganhou novos prédios. Para quem mora no estado foi, digamos, uma banho de água fria. Minha crítica não é bairrismo. Fiquei realmente sem entender essa decisão."

Juliana Paes (foto: João Miguel Jr/TV Globo)

A Rio Vermelho de "A Dona do Pedaço" foi gravada, no Rio Grande do Sul, nas cidades de Jaguari, Nova Esperança do Sul e São Gabriel, que juntas compõe o cenário das famílias rivais Ramirez e Matheus. No site do Gshow, a diretora artística da novela, Amora Mautner, explicou a escolha:

"A gente teve que fazer uma imagem mais 'inventadinha'. Não podia ser realista. Queríamos que fosse mais a ver com a memória de Maria da Paz, então a gente compôs uma cidade fictícia. Fizemos parte em Espírito Santo e parte em Rio Grande do Sul, mas no fundo é Rio Vermelho."

Alguém pode argumentar que muitos filmes ambientados em Nova York são rodados no Canadá. Porém, eles são repletos de referências à cidade. A questão não é gravar fora, mas fazer com que seja reconhecido nas locações a cidade que se pretende retratar. O capixaba enxerga o Espírito Santo em "A Dona do Pedaço"?

Em tempo: a última (e única) vez em que o Espírito Santo serviu de cenário para uma novela foi em "Cabocla" (em duas versões, 1979 e 2004). Porém, essa trama rural de Benedito Ruy Barbosa, que se passava no interior do estado, era de época (décadas de 1910 e 1920), sem a obrigação de referências contemporâneas.

Leia também: "Estreia de A Dona do Pedaço apela para os valores familiares e às armas".

Siga no Facebook – Twitter – Instagram

Sobre o autor

Nilson Xavier é catarinense e mora em São Paulo. Desde pequeno, um fã de televisão: aos 10 anos já catalogava de forma sistemática tudo o que assistia, inclusive as novelas. Pesquisar elencos e curiosidades sobre esse universo tornou-se um hobby. Com a Internet, seus registros novelísticos migraram para a rede: em 2000 lançou o site Teledramaturgia (http://www.teledramaturgia.com.br/), cujo sucesso o levou a publicar o Almanaque da Telenovela Brasileira, em 2007.

Sobre o blog

Um espaço para análise e reflexão sobre a produção dramatúrgica em nossa TV. Seja com a seriedade que o tema exige, ou com uma pitada de humor e deboche, o que também leva à reflexão.