Topo

Coluna

Chico Barney


Para sair do marasmo, Éramos Seis precisa de uma chacoalhada radical

Ataque zumbi em Éramos Seis - Reprodução/Montagem
Ataque zumbi em Éramos Seis Imagem: Reprodução/Montagem
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

20/11/2019 14h10

Resumo da notícia

  • Muitos telespectadores estão reclamando da lentidão de Éramos Seis.
  • Para amenizar o sentimento, algumas medidas poderiam ser tomadas pela autora.
  • Apocalipse zumbi, colisão de universos paralelos e salto cronológico são algumas das possibilidades.

Na mais recente edição do podcast UOL Vê TV, o colunista Flávio Ricco lamentou a falta de ação na novela Éramos Seis. Tendo acompanhado as versões da Tupi e do SBT, percebeu que o andamento da história não está em linha com os anseios do público contemporâneo.

Para suprir as expectativas da modernidade, a Coluna Chico Barney. tem algumas sugestões para a autora Ângela Chaves 'tunar' o remake da obra de Maria José Dupré.

Julinhoverso

E se houvesse uma colisão entre as realidades paralelas de Éramos Seis? O que aconteceria se os atores que interpretaram os personagens nas inúmeras versões da novela invadissem a história, talvez graças à ativação do Grande Colisor de Hádrons? Silvio Luiz foi Julinho na versão original, da Record. Poderia entrar e dar algumas dicas para o personagem interpretado por André Luiz Frambach. Irene Ravache também poderia surpreender e ensinar Glória Pires a superar o luto pela perda do marido.

Invasão zumbi

Faz sentido não aproveitar o talento de Antônio Calloni logo agora, com a trama ainda engrenando? Não faz. Mesmo morto, o personagem Júlio poderia tentar colar os caquinhos da família despedaçada graças a um misterioso vírus zumbi que reviveria boa parte da população desfalecida daquela bucólica São Paulo dos anos 30. Além disso, a distopia retrô renderia ação e suspense em doses ideais para o horário.

Crossover

Digamos que seja possível Vivi Guedes voltar no tempo graças a uma pane no algoritmo do Instagram. Seguindo a ideia central do filme Yesterday, em que um cara aproveita que ninguém lembra da existência dos Beatles para fingir que compôs todos aqueles sucessos, a digital influencer seria a responsável por criar insondáveis avanços tecnológicos do século 21, evitando até a II Guerra Mundial. Talvez Dona Lola perdesse um pouco da função na trama, mas a jornada ganharia escala e emoção.

Salto cronológico

Como estão os descendentes de Júlio e Lola em 2019? Será que apoiam o governo Bolsonaro? Ou estariam celebrando a liberdade do ex-presidente Lula? Algum participou do BBB? Alguma casou com Fábio Jr? Se é que sobrou alguém para contar história, depois de tanto sofrimento. Mas tergiverso...

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Chico Barney