PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Chico Barney


Trama esdrúxula de Miranda e Matias atrapalha Amor de Mãe

Milhem Cortaz é Matias - Victor Pollak  TV Globo
Milhem Cortaz é Matias Imagem: Victor Pollak TV Globo
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

23/01/2020 12h44

Os realizadores da novela Amor de Mãe parecem gostar muito de Avenida Brasil. Não só o diretor esteve envolvido na clássica saga de Carminha, como ainda aproveitaram boa parte daquele elenco na nova produção —e ainda fazem referências diretas, como a indefectível camisa do Divino Futebol Clube, time do bairro em que a trama ocorria, usada com frequência pelo Sandro (Humberto Carrão).

Pois a inspiração é tanta que agora Amor de Mãe tem até seu próprio Núcleo Cadinho. É a esdrúxula aventura dos personagens Miranda (Débora Lamm) e Matias (Milhem Cortaz).

Para quem não lembra (ou não está acompanhando a reprise no Vale a Pena Ver de Novo), Cadinho era Alexandre Borges, um empresário aparvalhado que vivia às voltas com suas diversas amantes, vividas por Carolina Ferraz, Camila Morgado e Débora Bloch. Um pastelão muito do descabido, que interrompia as histórias interessantes da novela com mais contundência que qualquer intervalo comercial.

A cadinhização de Amor de Mãe também passa pelo drama dos casos extraconjugais. Miranda e Matias viviam um conto de fadas, um relacionamento tórrido mesmo após 15 anos e o nascimento de 2 filhos. Até que ela descobriu que o marido teve uma noite de intempéries emocionais com uma médica que ressurgiu das cinzas e agora trabalha no mesmo hospital que ele.

Matias garantiu que foi apenas uma noite e nada mais, uma ocorrência de muitos anos atrás que poderia até ser considerada como prescrita. Arrasada, Miranda decidiu dar uma chance ao casamento, mas sob uma condição: dar o troco na mesma moeda. Ela acabou não conseguindo consumar o ato, mas a situação serviu de alavanca para denunciar o machismo para lá de estrutural do Matias, que não aceita ser um corno estilo carbono zero.

Enquanto isso, Domênico continua desaparecido, Magno (Adauto Chupetinha) está preso após confessar o assassinato de um homem que provavelmente não morreu e o Rian (Thiago Martins) virou uma espécie de Menino do Pintinho Piu (Dheymerson Farias). Esqueceram completamente da ex-esposa do Tufão Stark (Murilo Benício), assim como da ex-amante. Também nunca mais vi os filhos da Vitória (Taís Araújo).

Ou seja, existem tramas mais urgentes em Amor de Mãe. É fundamental focar no que importa e dar um basta neste novo núcleo Cadinho!

***

Vamos falar de coisa boa? O podcast UOL Vê TV dessa semana está sensacional. É ético um participante do programa recomendá-lo com elogios? Não sei. Mas tire a prova você mesmo clicando no vídeo abaixo.

Discutimos os novos projetos de Regina Duarte, Larissa Manoela, Sabrina Sato e Angélica, além de diversos outros assuntos palpitantes sugeridos pelos ouvintes. Para quem ainda não conhece, é uma mesa-redonda semanal sobre a televisão brasileira envolvendo Maurício Stycer, Flávio Ricco, Débora Miranda e este que vos escreve.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Chico Barney