PUBLICIDADE
Topo

Teste de Fidelidade com Mari é a estratégia mais estúpida do BBB 20

Mari Baianinha é alvo do Teste de Fidelidade  - Reprodução/TV Globo
Mari Baianinha é alvo do Teste de Fidelidade Imagem: Reprodução/TV Globo
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

30/01/2020 13h23

O grupo formado por Hadson, Felipera Trainspotting, Lucas e Petrix criou uma implicância selvagem com Mari Baianinha. O pecado da ex-Panicat? Aparentemente ser bonita e comprometida com um cara que já participou do BBB.

Os caras estão completamente sem rumo. Dizem que ela é falsa e manipuladora, mas não conseguem explicar os motivos. Nem mesmo para ela, que já ficou sabendo da fama entre os desnorteados. "Eu acho que tu joga, teu namorado já participou do BBB. Você já sabe. Se a minha namorada entra depois que eu sair daqui, ela ganha, ou pelo menos vai longe. Por isso acho que tu é falsa", delirou Lucas.

Felipera é o mais incomodado. Sem nenhum contexto, após entrar no quarto embriagado e acordar Babu, começou a berrar impropérios contra Baianinha. "Vocês estão dando moral para essa serpente, minha opinião. Me coloca então no paredão. Vou embora, mas não me interessa, não sou falso. Ela está irritando todo mundo. Vamos cair no jogo." Pouparei o amigo leitor das palavras mais fortes.

Hadson chegou a confessar para Marcela e Gizelly um intrincado estratagema para acabar com a moral de Mari com o público. Tiago Leifert inclusive se precipitou ao classificar ontem o plano como mentira: os caras estão levando a sério. Apostando tudo no poder de sedução dos amigos, pretendem fazer Baianinha se apaixonar por algum deles e, assim, trair o namorado em rede nacional.

A história fica mais fascinante quando descobrimos que Hadson é um grande fã de Marcos Oliver, ator do Teste de Fidelidade apresentado por João Kléber. Foi em homenagem ao sedutor, protagonista de filmes como 'Oliver: O Galã da TV', 'As mulheres de Oliver' e 'Puro Desejo', que o ex-jogador de futebol batizou seu filho.

Além do evidente equívoco ético e moral na abordagem dos supracitados, fica a impressão de que ninguém nunca assistiu ao reality show. É como se o BBB estivesse passando por um reboot em sua vigésima edição.

Não à toa, a estratégia estúpido está levantando debates sobre machismo e seus protagonistas já carregam a pecha de vilões. Por mim, tudo bem.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Chico Barney