PUBLICIDADE
Topo

BBB 20: Carta aberta para Bruna Marquezine

Bruna Marquezine (Foto: Reprodução/Globo) - Reprodução / Internet
Bruna Marquezine (Foto: Reprodução/Globo) Imagem: Reprodução / Internet
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

Colunista do UOL

01/04/2020 17h29

Prezada Bruna Marquezine,

Que grande lição sobre amizade e senso de pertencimento está sendo esse BBB 20. No meio de tanta maldade e tanta guerra, todo mundo está vivenciando a importância de se conectar emocionalmente a outras pessoas.

Sem medo de parecer piegas, devo dizer que é muito bonito ver sua entrega e dedicação para defender uma amiga querida, Bruna. Quem dera eu tivesse amigos assim. O máximo que já fizeram por mim foi pagar o almoço quando esqueci a carteira em casa. Mas não deixaram eu pedir refrigerante, tive que beber água.

Sem tanta dedicação e esforço da sua parte, que é uma das mais luminosas presenças do Instagram e a atriz que todo mundo conhece e gosta desde criança, não sei se teria dado pé para a Manu.

Veja bem, ela parece ser uma pessoa interessantíssima. E também considero uma das artistas mais admiráveis da sua geração. No começo da década, formatou um pop contemporâneo que só agora estão conseguindo replicar em escala industrial aqui no Brasil. É uma mulher inteligente, talentosa e inspiradora.

Mas lá no BBB, devo confessar, não chegou a dar liga. A forma como ela capitaliza a participação para conquistar engajamento e audiência nos perfis proprietários é genial, mas um tanto egoísta. É uma construção de base de fãs para ela, algo que tangencia, mas não se torna integrante do programa.

As melhores histórias de Manu Gavassi estão acontecendo fora do programa apresentado pelo Tiago Leifert, e também alheias às 24 horas de transmissão ao vivo no pay-per-view. É a fada da transmedia storytelling, como diriam os publicitários.

Paralelo a tudo isso, outra linda história de amizade nasceu e cresceu durante o próprio confinamento. Prior e Babu se conhecem há pouquíssimo tempo, mas desfrutaram juntos de uma experiência terrivelmente intensa em Curicica.

Como nos melhores filmes de duplas explosivas do cinema, uma personalidade complementava a outra. Máquina Mortífera, Bad Boys, Men in Black, Cheech & Chong. É longa e variada a bibliografia a respeito.

Os dois estavam brigados nos últimos dias. O motivo era uma besteira. Por conta da personalidade bizarra de Prior, a concatenação dos fatos do jogo exigiu que o arco chegasse ao fim antes do inevitável momento de reatar.

Lamentei o resultado do paredão do bilhão por conta disso. Toda a história de Felipe Prior estava lá dentro. E aqui evito qualquer filtro moral para avaliar as peças desse jogo. Não vou discutir que Manu parece ser uma pessoa bem mais justa, equilibrada e esclarecida que Prior.

Mas o BBB não é debate para ganhar quem tem razão. Da mesma forma que novelas como Deus Salve o Rei ou Mulheres Apaixonadas, o prazer de fruir bom entretenimento no BBB vem da tensão e dos conflitos na tela.

A casa agora está em paz. Faltando mais de 20 dias para a final, pode ser uma ótima notícia para a sua amiga, mas não sei se é tão bom para essa nação enclausurada.

Em linhas gerais, o que quero dizer é que talvez a amizade tenha sido a grande vilã do BBB 20. Se o programa ficar sem graça, é culpa da sua relação de carinho com Manu Gavassi e do amor na contramão empreendido por Prior e Babu.

E o fato de eu ter chegado a essa conclusão provavelmente explica o motivo de ninguém bancar um refrigerante quando esqueço a carteira.

Mas tergiverso. Parabéns pelo sucesso no paredão. Jamais serei capaz de perdoar.

Atenciosamente,
Chico Barney

SEGUE O FIO

O fim do BBB? Mauricio Stycer, Fefito e eu analisamos o triste paredão com 1,5 bilhão de votos. Prior foi embora e deixou Babu sozinho com as fadas sensatas. O que será de nós?

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Chico Barney