PUBLICIDADE
Topo

BBB 20: Rejeitada por Manu, Mari consegue dar a volta por cima

REALIZAÇÃO DE UM SONHO: Mari conversa com Manu - Reprodução/GlobosatPlay
REALIZAÇÃO DE UM SONHO: Mari conversa com Manu Imagem: Reprodução/GlobosatPlay
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

Colunista do UOL

08/04/2020 19h45

Mari e Manu estão protagonizando uma das melhores tramas dessa reta final do BBB 20.

Trata-se de um cativante suspense psicológico com pitadas de High School Musical.

A GAROTA CERTA

Manu é uma líder por natureza. Como parece ser uma mulher muito bem resolvida, consegue se impor com tranquilidade em qualquer ambiente. Nesse sentido, mesmo sem se envolver diretamente com o jogo durante boa parte do tempo, conseguiu ditar os rumos das relações na casa.

As fadas sensatas do Bloco Hegemônico sempre viram a postura de Manu como um exemplo. A cantora agiu como uma influenciadora analógica dentro da casa. Mais ou menos como acontece com o grupinho dos populares nos filmes de high school de Hollywood.

A VERDADEIRA GAROTA ERRADA

Do outro lado, Mari é um peixe fora d'água. Acho que poucas pessoas poderiam supor que a ex-Panicat seria tão insegura a respeito de si mesma em relação aos outros. Não por acaso, se anulou durante semanas a fio. Cheguei a escrever que temia pelo pior: ela poderia sair ainda menos famosa do que entrou.

TERRA DO NUNCA

Mas o choque entre as duas promoveu Mari a um novo patamar. Graças à insistência com que tem interpelado Manu, a eterna Baianinha está ganhando cada vez mais tempo de tela e carinho por parte dos internautas. E críticas duras dos Gavassers, é lógico.

Explico o imbróglio: Mari nunca conseguiu criar laços muito fortes lá dentro. Muito por conta da personalidade retraída, mas também por uma estranha concepção prévia que todos parecem ter: sempre esperam as piores intenções da parte dela.

Com isso, sua leveza e jeitão aéreo é consistentemente confundido com falsidade. A aliança de conveniência que fez com Flayslane, pois nenhuma das duas tinha outras pessoas em quem se ancorar, ajudou a afastar Mari ainda mais do resto da casa, a ponto de não se adequar direito em nenhuma rodinha.

SOLIDÃO É LAVA QUE COBRE TUDO

O desprezo mais sentido veio por parte de Manu. Mari tentou algumas vezes conversar, para entender o que estava acontecendo, mas foi rejeitada. Estava mais difícil do que abraçar a Avril Lavigne durante um meet and greet.

Depois do jogo da discórdia da última segunda-feira, finalmente conseguiu —com alguma insistência, claro.

CHATROULETTE

Na conversa, fica muito evidente que Manu não tem o menor interesse em estabelecer qualquer troca com Mari, e que também não confia nela. Nada contra. Isso acontece bastante aqui fora com todos nós, de um lado ou do outro, por motivos nem sempre específicos.

De qualquer forma, foi curiosa a forma como Manu entendeu a busca por acolhimento de Mari: se sentiu atacada. Todos os participantes estão no limite da emoção, o que certamente acaba nublando a percepção de algumas coisas.

CLOROFILA

Houve uma época em que era difícil vencer de alguém que carregasse a narrativa de pessoa excluída no BBB. Com o jogo nesse estágio e o comportamento dos fã-clubes atualmente, acho difícil o jogo virar. Em um tempo remoto, quando ainda era gente comum que votava pelo telefone, diria que Mari Baianinha estaria pronta para se tornara favorita do BBB 4 ou 5.

A gente percebe que a temporada é histórica mesmo quando até uma participante que todos consideravam uma planta consegue dar a volta por cima e criar uma história consistente para contar ao público.

SEGUE O FIO

Mauricio Stycer, Fefito e este que vos escreve discutem o resultado do paredão que eliminou Marcela e os prognósticos para o futuro do BBB 20. Assista ao novo episódio do programa BBB A Thread.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Chico Barney