PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Chico Barney


Caso Gui Napolitano: Você deixaria seu filho tatuar o nome de um ex-BBB?

Guilherme Napolitano e Gabi Martins, do BBB 20 - Reprodução/Instagram
Guilherme Napolitano e Gabi Martins, do BBB 20 Imagem: Reprodução/Instagram
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

Colunista do UOL

13/07/2020 19h43

A pauta referente à moral e os bons costumes nunca foi nem será de interesse da Coluna Chico Barney. Mas existem algumas ocorrências no mundo do showbiz que nos fazem questionar o futuro da humanidade.

Já faz tempo que é uma moda entre famosos tatuar o nome dos cônjuges. Como não lembrar aquela vez em que Deborah Secco usou o pé como palco para homenagear o então namorado Marcelo Falcão? E a história mais representativa da onda envolve Viviane Araújo e o cantor Belo, que também marcaram na pele a paixão do momento.

Ampliando a questão para outros elementos da vida social, também é uma insistente prática usar de tais meios para felicitar os familiares. Bárbara Evans celebrou a mãe Monique, a quem chamou de rainha ou bainha no antebraço, dependendo para quem você perguntar. E Andressa Urach mandou um salve para o filho no pescoço.

Da série "Péssimas razões para furar a quarentena": Tatuar o nome de um ex-BBB no braço - Reprodução - Reprodução
Da série "Péssimas razões para furar a quarentena": Tatuar o nome de um ex-BBB no braço
Imagem: Reprodução

O que essas pessoas têm em comum? Todas resolveram apagar os mimos depois de um tempo. Pois talvez seja um comprometimento grande demais, definitivo demais, caro demais, até mesmo quando você possui laços sanguíneos com a pessoa.

Uma preocupante tendência é tatuar nomes de ídolos. Nada contra quem decide tomar essa decisão em pleno gozo de suas faculdades mentais. Mas você deixaria seu filho escrever na pele o nome de um ex-BBB?

O jovem modelo Guilherme, um dos muitos eliminados do BBB 20, publicou recentemente a foto de alguém que tatuou no braço "Gui Napolitano" e um coraçãozinho. Que tipo de entusiasmo tão contundente alguém pode ter por uma figura pública cujo grande feito foi participar de um reality show?

Longe de mim estabelecer quais as melhores práticas para quem exerce a difícil arte de criar um cidadão para o mundo. Mas me parece que impedir seu filho de cometer esse tipo de ato impulsivo é um dos mais relevantes desafios parentais no século 21.

Faça o que eu digo, não faça o que eu faço - Reprodução - Reprodução
Faça o que eu digo, não faça o que eu faço
Imagem: Reprodução

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Chico Barney