PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Chico Barney


Monique Alfradique foi tragicamente mal aproveitada em Mestre do Sabor

Monique Alfradique - Divulgação/ Camilla Maia/ Globo
Monique Alfradique Imagem: Divulgação/ Camilla Maia/ Globo
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

Colunista do UOL

24/07/2020 12h01

Chegou ao fim a segunda temporada do Mestre do Sabor, competição culinária empreendida pela Rede Globo. E a novidade mais importante do ano, a luminosa presença da atriz Monique Alfradique, foi frustrante.

Não pela performance da musa da Grande Rio, sempre bastante convincente em suas intervenções, mas graças à parcimônia com que a produção utilizou seus préstimos.

Nada contra o glorioso Claude Troisgros, decano da culinária com sotaque na televisão brasileira e apresentador do formato. Mas o jeitinho todo especial de continuar pronunciando muito mal as palavras mais simples do nosso vocabulário, mesmo após décadas morando por aqui, vai contra tudo o que sempre se preconizou na TV aberta.

Quando Alfradique foi anunciada, esperava-se uma medida para conter a confusão motivada pelas falas ininteligíveis do chef francês. Mas que nada. O melhor amigo do Batista continuou conduzindo o programa normalmente, com a novata restrita a merchans e eventuais locuções nas transições de bloco.

Assim sendo, fato é que a eterna agente da lei Yohana foi tragicamente mal utilizada. Com sua envolvente fluência na língua portuguesa, teria conduzido muito melhor as narrativas de Mestre do Sabor. Azar do público.

Já que a terceira temporada foi confirmada, a expectativa agora é para que haja uma fundamental correção de rumo nesse quesito.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Chico Barney