PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Fefito


Caso de Pugliesi mostra que povo acordou para falsos discursos na internet

Gabriela Pugliesi  - Reprodução/Instagram
Gabriela Pugliesi Imagem: Reprodução/Instagram
Fefito

Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, é formado em jornalismo e pós-graduado em direção editorial. Teve passagens pela IstoÉ Gente, Diário de S. Paulo, iG, R7. Atuou como apresentador do Estação Plural, da TV Brasil, Mulheres, da TV Gazeta, e Morning Show, da Jovem Pan.

Colunista do UOL

26/04/2020 15h04

Resumo da notícia

  • Depois de ter coronavírus, influenciadora deu festa para famosas e mostrou em redes sociais
  • Marcas que patrocinam Pugliesi têm sido cobradas por posicionamento sobre o caso
  • Musa fitness chegou a publicar vídeo dizendo "Foda-se a vida" no Instagram e se desculpou

Primeira famosa a testar positivo para o coronavírus no Brasil, Gabriela Pugliesi voltou a ser assunto neste domingo (26). Desde cedo, as redes sociais estão em polvorosa porque a influenciadora digital publicou vídeos de uma festa com amigas como Mari Saad e Bárbara Brunca. Curiosamente, todas as pessoas presentes na festa têm discurso de vida saudável e incentivam o isolamento, pedindo para que seus seguidores ficassem em casa. As imagens da balada, portanto, soam como grande hipocrisia, uma vez que as orientações da Organização Mundial da Saúde foram descumpridas.

Embora estivesse acompanhada pelo marido, Erasmo Viana, e outros famosos de internet, Pugliesi tem sofrido a maior parte das cobranças por ser a mais popular dentre todos, mas não somente. Chama atenção a inconsequência. O casamento da irmã da influenciadora, na Bahia, se tornou um dos maiores focos de disseminação de coronavírus. Cerca de 70 pessoas foram contaminadas lá, incluindo celebridades como Preta Gil e Fernanda Paes Leme. Pugliesi, portanto, parece não ter aprendido a lição.

Dada a repercussão das redes sociais, no entanto, decidiu pedir desculpas: "Estou fazendo esse vídeo para pedir desculpas, do fundo do meu coração. Ontem eu juntei meia dúzia de amigos aqui em casa. A gente pediu comida, a gente bebeu. Eu me passei, postei, falei besteira. Estou extremamente arrependida, estou mal comigo mesma, fui irresponsável, imatura, e mais uma vez eu queria pedir desculpas. Eu errei porque não é para juntar gente em casa, porque eu sei que tem pessoas passando dificuldade, porque é ofensivo, porque não ajuda ninguém neste momento. A quarentena está difícil para mim mas eu sei que está muito mais difícil para outras pessoas. E eu que me proponho sempre a falar sobre como a vida pode ser maravilhosa, eu tenho que ter responsabilidade sobre o que eu faço, sobre o que eu posto, sobre o que eu falo".

To super arrependida, e que sirva de aprendizado

Uma publicação compartilhada por Gabriela Pugliesi (@gabrielapugliesi) em

O pedido parece não ter sido suficiente. Pelo Twitter, há internautas afirmando que não seria a primeira festa durante o tempo de quarentena. Tatá Werneck, por sua vez, fez questão de se manifestar: "Gabriela, você vai me achar uma babaca depois desse comentário. Mas eu acho menos importante isso do que alertar as pessoas. Estão pedindo caminhão pros hospitais. Porque está um caos. Minha prima médica (que pegou) chega chorando em casa. Porque eles já tem que escolher quem salvar. Você já teve. Está teoricamente 'imune'. Eu acho que essa atitude, ainda mais pra um monte de gente que te segue e se inspira na sua vida saudável, foi inadmissível".

Marcas que patrocinam Pugliesi têm sido cobradas por posicionamento. A Liv Up, de comidas saudáveis, já afirmou que cancelou ações futuras com a modelo.

O que chama atenção nesse caso é que, num país em que centenas de pessoas morrem diariamente vítimas do coronavírus, Pugliesi chegou a fazer um story - posteriormente apagado - no Instagram dizendo "Foda-se a vida". Pareceu um grande escárnio.

Chegou a hora em que os influenciadores precisam provar que estão alinhados com os discursos que promovem. Em uma troca de mensagens com um seguidor revelada na internet, uma das participantes da festa chega a insinuar que ele estaria com inveja por não estar na festa e diz "se mata". Parece um discurso muito pouco saudável e bem longe da vida "good vibes" que todos pregam.

Fefito