PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Fefito


Dedé Santana sobre saída de Renato Aragão da Globo: "Achei uma injustiça"

Dedé Santana tinha projeto de série com Renato Aragão - Divulgação/ RedeTV!
Dedé Santana tinha projeto de série com Renato Aragão Imagem: Divulgação/ RedeTV!
Fefito

Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, é formado em jornalismo e pós-graduado em direção editorial. Teve passagens pela IstoÉ Gente, Diário de S. Paulo, iG, R7. Atuou como apresentador do Estação Plural, da TV Brasil, Mulheres, da TV Gazeta, e Morning Show, da Jovem Pan.

Colunista do UOL

01/07/2020 13h06

Resumo da notícia

  • Humorista também está sem contrato com a Globo e só trabalhado por obra
  • Para Dedé, emissora deveria dar contrato vitalício para artistas da velha guarda
  • Ator estava em Santa Catarina durante ciclone e ainda não falou com Renato Aragão

Dedé Santana, assim como boa parte do meio artístico, foi pego de surpresa com a notícia de que Renato Aragão deixaria a Globo após 44 anos de trabalho. "Eles não podiam ter feito isso com ele. Achei uma injustiça", afirma o ex-Trapalhão, atualmente com 84 anos e também sem contrato com a emissora. "Também tenho trabalhado por obra."

Para o humorista, a saída do intérprete de Didi não foi a melhor solução encontrada pela Globo. "Eles poderiam renegociar o trabalho. Mas não dá para abrir mão de nomes como Renato Aragão e outros artistas que ajudaram a construir a emissora, como Tarcisio Meira", diz. "A Globo deveria nos dar um contrato vitalício."

O ator considera que os artistas mais velhos não têm o respeito que merecem. "Lembro de um dia conversar com o Flávio Migliaccio e ele me dizer o quanto era difícil estar contratado por uma emissora e ainda assim ter de correr atrás de trabalho", conta. "E o Renato fez muita coisa importante. Ele tem o mérito dele."

Para Dedé, o sentimento é de gratidão. "O Renato era uma cabeça pensante, me deu a oportunidade de dirigir alguns dos filmes dos Trapalhões", afirma o humorista, que garante ter boas relações com o amigo hoje. "O que não soubemos na época em que falavam de briga foi administrar tudo. Mas sou muito grato a ele sempre."

O humorista acha que a saída de Renato Aragão da Globo terá consequências também em sua vida. "A minha segurança de estar na Globo era ele. Ele me chamava para todo projeto que ele fazia ou participava", conta Dedé, que atualmente trabalha como embaixador do circo no Brasil e tem ligado para artistas circenses para monitorar a situação em tempos de pandemia.

O ator, no entanto, ainda não teve tempo de falar com o colega. "Moro em Itajaí, em Santa Catarina, e, por causa do ciclone, minha casa teve uma parte destelhada e fiquei sem internet. Pretendo falar com ele hoje", afirma, Dedé, tinha um projeto com Didi. "Queria fazer um seriado mostrando como estaríamos nos dias de hoje. Mas o Renato tem sempre uma carta na manga, pode ter certeza disso."

Fefito