Coluna

Flávio Ricco

Depende de formato: Luan Santana é forte candidato a ter programa na Globo

Mauro Pimentel/UOL
Imagem: Mauro Pimentel/UOL
Arte/UOL
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

08/01/2016 07h00

Tudo caminha para Luan Santana ter um programa dele ou apresentado por ele na Globo. Segundo foi possível apurar, o que falta é apenas um formato. Um formato que se ajuste ao cantor.

Pesquisas realizadas pela própria emissora apontaram que ele é uma figura com enorme aceitação, dentro e fora do meio musical, além de ter um trânsito muito bom entre os mais diferentes tipos de público.

Uma demonstração recente do respeito que o Luan tem hoje na Globo, foi a sua participação no último “Show da Virada”. Mesmo sendo uma edição quase que totalmente dedicada ao “axé”, ele foi uma das exceções, apresentando-se com seu próprio repertório.

Não bastasse, a boa marca que há anos vem registrando na venda de discos e shows, prova da sua popularidade, é outro ponto que também pesa a favor. No ano passado, Luan gravou até participação em novela, em "I Love Paraisópolis"

* Colaborou José Carlos Nery

Leia a coluna na íntegra

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Topo