Coluna

Flávio Ricco

Record fecha acordo com sindicato sobre demissões no RecNov

Reprodução
Casablanca assumiu os estúdios antes conhecidos como RecNov Imagem: Reprodução
Arte/UOL
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

15/06/2016 12h33

A TV Record e o Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro chegaram a um acordo sobre as demissões ocorridas no extinto RecNov, em 2015, que deu origem ao processo de terceirização das suas novelas para a Casablanca.

A informação já está disponível no site da entidade e é confirmada por setores da emissora. De acordo com o texto, cada ex-funcionário receberá R$ 11 mil, a título de indenização complementar.

"São beneficiários da ação os radialistas demitidos a partir do dia 23 de novembro de 2015 e que realizaram homologação no sindicato. Além desses, por deliberação da assembleia, também serão contemplados os funcionários com menos de um ano de casa que estiveram presentes em pelo menos uma das três assembleias realizadas pelo sindicato", detalha.

A assinatura do acordo deve ocorrer na próxima semana. A partir daí, a empresa terá 30 dias para depositar o valor total em uma conta bancária do sindicato, que terá mais 30 dias para repassar a indenização para cada trabalhador. A ordem de pagamento dará prioridade aos idosos, gestantes e ex-funcionários com doenças graves.

Os repasses serão feitos em data marcada com o sindicato. A informação sobre a disponibilidade do valor será divulgada pelo site da entidade.

O acordo vai beneficiar mais de 600 profissionais que trabalhavam no extinto complexo de novelas. Muitos deles, vale destacar, foram recontratados pela produtora Casablanca, que arrendou o estúdio por 5 anos.  

*Colaboração de José Carlos Nery

Leia a coluna na íntegra

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Topo