PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Flávio Ricco


Flávio Ricco

Excesso de colaboradores descaracteriza novelas, diz Globo

Walcyr Carrasco escreve "Êta Mundo Bom!" juntamente com dois colaboradores - Paulo Belote/TV Globo
Walcyr Carrasco escreve "Êta Mundo Bom!" juntamente com dois colaboradores Imagem: Paulo Belote/TV Globo
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

07/08/2016 07h00

A Globo tem uma explicação para o fato de ter reduzido drasticamente o número de colaboradores em seu principal produto, as novelas. Segundo a emissora, a existência de um grande número de roteiristas auxiliando uma mesma produção estava deixando as histórias descaracterizadas.

Daí a necessidade dessa intervenção e a justificativa para a redução – algo, aliás, que desagradou muita gente. Em vez de cerca de 10 colaboradores, esse número caiu para três ou quatro.

Walcyr Carrasco, por exemplo, escreve “Êta Mundo Bom!” com apoio de Nelson Nadotti e Vinicius Vianna; Daniel Ortiz, de “Haja Coração”, trabalha com Flávia Bessone, Isabel Muniz, Patrícia Moretzsohn e Nilton Braga, enquanto Benedito Ruy Barbosa, de “Velho Chico”, escreve com Bruno Luperi e a colaboração de Luis Alberto de Abreu.

Record e SBT possuem esquemas diferentes no desenvolvimento de suas novelas. Iris Abravanel não abre mão de um grupo de apoio fixo, enquanto a parceria Record-Casablanca não tem um critério estabelecido de colaboradores para suas novelas bíblicas.

Leia a coluna na íntegra

*Colaboração de José Carlos Nery   

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Flávio Ricco