Coluna

Flávio Ricco

Fazer traficante de drogas será o maior desafio de Juliana Paes em novela

Caiuá Franco/Divulgação/TV Globo
Juliana Paes é Bibi Perigosa em "A Força do Querer" Imagem: Caiuá Franco/Divulgação/TV Globo
Arte/UOL
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

09/04/2017 07h00

Juliana Paes encara como o maior desafio da sua carreira as próximas etapas da personagem Bibi em “A Força do Querer”, novela das 21h da Globo, até a mudança em definitivo para uma traficante de drogas. Um trabalho intenso de desconstrução e construção de imagem.

Bibi vai passar por difíceis momentos após a prisão do marido Rubinho, Emílio Dantas, no qual observa, acima de tudo, um homem romântico e companheiro, mas que a arrastará para o mundo do crime.

Inicialmente ela duvidará que ele é um bandido e lutará com todas as forças para livrá-lo da cadeia. Mas, depois que a ficha cair, começará a dura transformação de Bibi. Cansada de uma vida de sofrimentos e frustrações, ela, em determinado momento da novela, assumirá os negócios do tráfico e se tornará uma cruel criminosa. De batalhadora e apaixonada, exibirá uma outra face.  

Por conta dessa metamorfose, Juliana Paes passará por um forte trabalho de preparação. Como a trama está apenas no início, não se sabe ainda como ficará a caracterização da atriz. Porém, quem teve acesso a todo o processo, entre visual e comportamento, não tem dúvidas de que este será um dos maiores trabalhos da atriz em novelas. Um desafio.

A personagem foi inspirada na história de Fabiana Escobar, conhecida como Bibi Perigosa, a ex-Baronesa do pó, que foi casada com um dos maiores traficantes da Rocinha, no Rio.   

*Colaboração de José Carlos Nery  

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Topo