Coluna

Flávio Ricco

Nova matéria do "Domingo Show" faz Geraldo Luís virar catador de lixo

Arte/UOL
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL

11/10/2017 16h38

Geraldo Luís foi a Brasília para contar a história do catador de lixo Edcácio Barros, de 40 anos, que sustenta a família trabalhando no aterro sanitário da Cidade Estrutural, cidade satélite da região metropolitana.

Apesar das dificuldades, Edcácio é alguém de um humor muito acima da média, e mostrou que tem talento para cantar.

Na matéria, Geraldo se caracterizou de catador de lixo e acompanhou de perto a rotina dos que vivem no local. A caracterização foi feita pelo maquiador da Record TV Vavá Torres.

A família de Edcácio mora em um terreno invadido. A casa foi construída com terra batida, tapumes e algumas paredes de papelão.

Trabalhador, filho número 6 de sete irmãos, ele foi criado na roça. Nasceu em Irecê, mas aos 14 anos, fugindo da seca nordestina, passou pela Bahia e foi parar em Brasília,onde conheceu a esposa, Elaine.

Nesta reportagem, além de se surpreender com a chegada de Geraldo Luis, ele vai rever o irmão, Edimárcio, com quem formou a dupla Cácio e Márcio, e será convidado a cantar no palco ao vivo, onde a mãe, Dona Gildete Bispo dos Santos, 72 anos.

Lá, além de cantar a música que fez para ela, vai ter surpresas que vão mudar sua vida.

*Colaborou José Carlos Nery

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Topo