Topo

Coluna

Flávio Ricco

Excesso de programas femininos vai funcionar no quem pode mais, chora menos

Reprodução/TV Gazeta
Regina Volpato estreia no "Mulheres" como substituta de Catia Fonseca Imagem: Reprodução/TV Gazeta
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

10/02/2018 00h04

Acertada a continuidade da Regina Volpato, a Gazeta vai trabalhar num formato quase que inteiramente novo para o “Mulheres”. A ordem é remodelar geral. Os diretores Marinês Rodrigues e Silvio Alimari, Tico, já estão envolvidos neste projeto.

Enquanto isso, no meio TV o que se discute é a quantidade de programas femininos, muito em breve em cartaz, com Sonia Abrão, Regina Volpato e Cátia Fonseca no mesmo horário e todos muito semelhantes.

Isso se não considerarmos o “Casos de Família”, da Christina Rocha, do SBT.

Essa briga feminina das tardes, por todo jeitão das coisas, vai funcionar muito naquela do quem pode mais chora menos.

Isto muito em função de que o número de ligados no horário é bem limitado, sem chance nenhuma de ser aumentado.

*Colaborou José Carlos

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!