Topo

Coluna

Flávio Ricco


Repórter Mauro Naves deixa TV Globo após 31 anos

O repórter Mauro Naves deixa a TV Globo  - Reprodução/TV Globo
O repórter Mauro Naves deixa a TV Globo Imagem: Reprodução/TV Globo
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

08/07/2019 14h05

O repórter Mauro Naves deixou a Rede Globo após 31 anos de casa, como consequência dos fatos relacionados à acusação de estupro que envolveu o jogador Neymar.

A informação é confirmada pela emissora.

Abaixo o comunicado oficial da TV Globo:

"O Grupo Globo e o jornalista Mauro Naves decidiram encerrar consensualmente o contrato de prestação de serviços que mantinham. O Grupo Globo reconhece a imensa contribuição de Mauro Naves ao jornalismo esportivo e a ele agradece os 31 anos de dedicação e colaboração".

Em contato com a coluna, Mauro Naves informou que está finalizando outros assuntos referentes ao seu desligamento da TV Globo e que promete dar mais informações "depois que tudo estiver concluído".

Ontem, no Maracanã, nos bastidores da final da Copa América entre Brasil e Peru, profissionais do Grupo Globo comentavam sobre a ausência de Naves na cobertura e a certeza que ele seria dispensado pela emissora neste começo de semana.

Um dos repórteres mais experientes e um dos rostos mais conhecidos da cobertura esportiva da Globo, a situação de Naves ficou delicada na emissora depois que foi revelado que o jornalista havia passado o contato do pai de Neymar para um dos advogados de Najila Trindade, modelo que acusa o jogador de estupro.

A Globo avaliou que o jornalista interferiu no caso e decidiu afastá-lo, chegando a anunciar a decisão em pleno Jornal Nacional.

"Mauro Naves é um profissional excelente, com grandes contribuições ao jornalismo esportivo da Globo, mas há evidências de que as atitudes dele neste caso contrariaram a expectativa da empresa sobre a conduta de seus jornalistas. Em comum acordo, o repórter Mauro Naves deixará a cobertura de esportes da Globo até que os fatos sejam devidamente esclarecidos", disse William Bonner em comunicado na ocasião.

William Bonner anuncia afastamento de Mauro Naves

UOL Esporte

Em entrevista à RedeTV!, a mulher de Naves, a atriz Patrícia Naves, lamentou a punição e reiterou que, em sua visão, o marido não havia feito nada que prejudicasse a emissora.

"Para mim é muito difícil falar. Acho que ninguém deveria passar o que o Mauro está passando. Eu preferiria não falar, mas não posso. A dor que todos nós da família estamos passando, não desejaria ao meu pior inimigo. Tenho certeza que Deus é maior que tudo. O meu marido é um homem sério, 32 anos de profissão dedicados ao trabalho, de um coração enorme. Estou chocada com a repercussão que isso tomou em função de uma pessoa que simplesmente não fez nada", afirmou ela.

Colegas de profissão, como o comentarista Walter Casagrande Jr., também saíram publicamente em defesa de Naves.

Mauro Naves trabalhava na Globo desde março de 1987. Começou em Brasília, onde passou a morar a partir dos 13 anos. Em setembro de 1989, conseguiu espaço na sede da emissora em São Paulo, onde trabalha até hoje --exceto entre 1992 e 1993, quando saiu da Globo para se dedicar a uma loja de confecção de roupas com um primo.

Além de um grande profissional, parceiro, bom de jogo e bom de transmissão, Naves sempre foi muito querido pelos colegas e era chamado por eles de "presida" - presidente.

E o fato é que, após o anúncio feito por Bonner no "JN", aquilo o deixou profundamente abatido.

Não entendeu por que simplesmente não o chamaram para uma conversa, para que tudo se resolvesse internamente. Há quem garanta que o repórter não queria mais voltar.

Guilherme Pereira, que se juntou ao grupo de profissionais da TV Globo que cobre a seleção brasileira após o afastamento de Naves, poderá ter novas oportunidades.

*Colaborou José Carlos Nery

Flávio Ricco