Topo

Coluna

Flávio Ricco


Ex-chefão da Band organiza debates presidenciais na Argentina

Diego Guebel organiza os debates presidenciais na Argentina - Arquivo pessoal
Diego Guebel organiza os debates presidenciais na Argentina Imagem: Arquivo pessoal
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

08/10/2019 00h05

O executivo argentino Diego Guebel, criador do "CQC", que durante 6 anos comandou o conteúdo da Band e deixou a emissora em dezembro de 2017, continua muito atuante no mercado, produzindo formatos e fechando parcerias com televisão e outras plataformas, caso do streaming.

Neste momento, por exemplo, é ele quem está organizando a produção de TV dos debates presidenciais da Argentina em parceria com a Câmara de Produtores Independentes.

Serão dois programas com os seis candidatos: Alberto Fernández, Mauricio Macri, Roberto Lavagna, Nicolás del Caño, Juán Centurión e José Luis Espert.

O primeiro encontro acontece no próximo domingo (13) na província de Santa Fé, enquanto o segundo, dia 20, em Buenos Aires. Importante: todos os candidatos participam dos dois debates, transmitidos por todas as redes de TV. A eleição está marcada para o próximo dia 27.

Diego Guebel teve uma passagem marcante pela programação da Band e, na despedida, não economizou elogios ao comando da emissora.

"Estarei sempre grato pela oportunidade que me foi dada pela empresa, principalmente ao presidente Johnny Saad por sua ousadia, por me estimular a fazer o que parecia impossível e por me fazer sentir parte de seu time. Passei por grandes e maravilhosos momentos nesta casa e fiquei encantado com as pessoas incríveis que conheci aqui", disse em comunicado.

*Colaborou José Carlos Nery

Errata: o texto foi atualizado
A primeira versão do texto informou incorretamente os candidatos à eleição na Argentina. Os nomes corretos são: Alberto Fernández, Mauricio Macri, Roberto Lavagna, Nicolás del Caño, Juán Centurión e José Luis Espert. O erro foi corrigido.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Flávio Ricco