PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Flávio Ricco


Flávio Ricco

William Waack explica "sumiço" durante festa da CNN Brasil em São Paulo

William Waack vai comandar o Jornal da CNN - Divulgação
William Waack vai comandar o Jornal da CNN Imagem: Divulgação
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL

12/03/2020 00h05

Resumo da notícia

  • Lesão no joelho e entrevistas levaram Waack a deixar evento mais cedo
  • Âncora gravou com Davi Alcolumbre (presidente do Senado) e Rodrigo Maia (presidente da Câmara).
  • Jornal da CNN será exibido de segunda a sexta, das 21h30 às 23h

William Waack não pôde ficar muito tempo na festa da CNN Brasil, segunda-feira, na OCA-Ibirapuera, e isso chamou atenção de convidados e da imprensa. Rolaram até teorias de que o canal havia blindado o jornalista. Mas, nada disso! Além de um problema no joelho, o âncora do "Jornal da CNN" já havia assumido outros compromissos.

"Tá tudo ótimo, e eu tive de ir embora logo por dois motivos: tava com um joelho ruim por conta de lesão antiga. Fui atleta, ex-integrante da seleção brasileira de handebol, e hoje, aos 67, pago um preço (risos)", explica o jornalista.

E estava escalado para entrevistar, na terça, a partir das 7h da manhã, Davi Alcolumbre (presidente do Senado) e Rodrigo Maia (presidente da Câmara) nos estúdios da Paulista para o programa de estreia.

"Como dizem os jogadores, tinha de me poupar para o clássico. Tá tudo ótimo", reforça.

Pouca gente sabe, mas o jornalista chegou ao evento de cadeira de rodas.

O "Jornal da CNN" será apresentado de segunda a sexta-feira, das 21h30 às 23h.

Com a proposta de abordar os principais fatos do Brasil e do mundo, com forte viés analítico em economia e política, terá o comando de Waack e participações de Cristiane Dias, Daniela Lima e Thais Herédia.

*Colaborou José Carlos Nery

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Flávio Ricco