PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Flávio Ricco


Pandemia faz 'É de Casa' reduzir equipe e apostar em aplicativos

Ana Furtado no "É de Casa"  - Reprodução / Internet
Ana Furtado no "É de Casa" Imagem: Reprodução / Internet
Flávio Ricco

Jornalista, passou por algumas das mais importantes empresas de comunicação do país, como Tupi, Globo, Record e SBT. Dirigiu o "Programa Ferreira Netto" e integrou a equipe do "SBT Repórter". Escreve sobre televisão desde 2003. colunaflavioricco@uol.com.br

Colunista do UOL*

04/04/2020 00h05

Resumo da notícia

  • Programa está com cinco horas de duração nos sábados da Globo
  • Produção está trabalhando com metade da sua equipe
  • "É de Casa" aposta em aplicativos para entrevistas e musicais

Exibido ao vivo nos sábados da Globo entre 6h50 e meio-dia, portanto, com cinco horas de duração, o programa "É de Casa" também precisou se adaptar aos novos tempos. Tempos de coronavírus!

Toda a sua equipe foi reduzida ao mínimo necessário e as entrevistas por videochamadas foram algumas das medidas adotadas pelo programa diante do problema que todos enfrentamos.

Nesse momento, uma das maiores aliadas do seu pessoal tem sido a tecnologia.

Na edição deste sábado, estão previstas pelo menos 10 entradas utilizando aplicativos para conversas em vídeo, ao vivo, online.

Além disso, os tradicionais links estão mantidos, mas as apresentações musicais e conversas com convidados, até mesmo sobre rotina no confinamento, serão realizadas via apps.

Cissa Guimarães tem se mantido em casa por recomendação da Globo e das autoridades de Saúde e de lá faz suas participações.

*Colaborou José Carlos Nery

Flávio Ricco