Topo

Coluna

Mauricio Stycer


Globo abre mão de exibir na TV e série sobre Hebe vai direto para internet

Andréa Beltrão como a apresentadora Hebe Camargo no filme "Hebe - A Estrela do Brasil" - Divulgação
Andréa Beltrão como a apresentadora Hebe Camargo no filme "Hebe - A Estrela do Brasil" Imagem: Divulgação
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

21/11/2019 13h55

O Globoplay anunciou que vai lançar no próximo dia 13 de dezembro os 10 episódios da minissérie "Hebe". Diferentemente do que chegou a ser divulgado, a história da apresentadora Hebe Camargo (1929-2012) não vai ser exibida na televisão em janeiro de 2020.

Escrita por Carolina Kotscho, com direção artística de Mauricio Farias e direção de Maria Clara Abreu, a minissérie "Hebe" narra a trajetória da apresentadora do início ao final de sua vida. As atrizes Valentina Herszage e Andréa Beltrão se revezam no papel da protagonista.

No dia 16 de dezembro, a Globo vai exibir no Tela Quente, como se fosse um filme, um especial com os dois primeiros episódios da série.

Procurada pelo UOL, a empresa diz que o Globoplay se interessou em exibir a série e, por isso, ganhou o privilégio de ter a chamada "primeira janela". Não está descartada a possibilidade de "Hebe" ainda vir a ser exibida na TV, mas nenhuma data foi anunciada até o momento.

A série é um produto derivado do filme, lançado em setembro deste ano. "Hebe -- A estrela do Brasil" estreou em 140 salas e levou apenas 49 mil pessoas aos cinemas na primeira semana. Após cinco semanas, o filme totalizou 112.677 espectadores, um número muito abaixo das expectativas.

O filme, dirigido por Mauricio Farias e roteiro de Carolina Kotscho, se limita a mostrar Hebe num breve período, na segunda metade dos anos 1980, e a retrata como uma ardorosa defensora da liberdade de expressão. Marcello Camargo, único filho da apresentadora, chegou a dizer que não reconheceu a mãe no filme.

Este mau resultado nas salas de cinema pode ter influenciado a decisão da emissora de exibir a série diretamente em seu serviço de streaming, e não na TV aberta.

* * *
Ouça o podcast UOL Vê TV, a mesa-redonda sobre televisão com os colunistas Chico Barney, Flávio Ricco e Mauricio Stycer. Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Siga a coluna no Facebook e no Twitter.

Mauricio Stycer