PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Mauricio Stycer


Sucessor do "Tá no Ar" vai rir do jornalismo da Globo e dos concorrentes

Depois do "Zorra" e do "Se Joga", Paulo Vieira vai ser um dos âncoras do telejornal "Fora de Hora" - Divulgação/Globo
Depois do "Zorra" e do "Se Joga", Paulo Vieira vai ser um dos âncoras do telejornal "Fora de Hora" Imagem: Divulgação/Globo
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

06/12/2019 05h01

Resumo da notícia

  • Novo humorístico vai se chamar "Fora de Hora" e tem previsão de estreia em janeiro
  • O programa vai simular um telejornal e será ancorado pelos comediantes Paulo Vieira e Renata Gaspar
  • Tipos são inspirados em jornalistas como Geraldo Luis, José Luis Datena, Suzana Naspolini e Guga Chacra
  • O elenco inclui Marcelo Adnet, Marcius Melhem, Júlia Rabello, Verônica Debom, Luís Lobianco, Welder Rodrigues e Eduardo Sterblitch, entre outros

A Globo começa a gravar na próxima semana o programa que terá a responsabilidade de suceder ao "Tá no Ar" (2014-19), o afiado humorístico que riu de todos os gêneros da televisão ao longo de seis temporadas.

A nova atração se chama "Fora de Hora" e vai se dedicar a apenas um gênero, o jornalismo de TV. O programa reproduzirá a estrutura de um telejornal, ancorado por Paulo (Paulo Vieira) e Renata (Renata Gaspar). Ao longo de 26 minutos vai apresentar reportagens, links ao vivo e apresentação no estúdio.

Um repórter, Pedro Resedá (Caito Mainier), inspirado em Geraldo Luís, com pitadas de Datena e Rodrigo Faro, batalha pela exibição de matérias com mais violência e quer saber do Ibope no momento em que está chorando.

Outro, Esteban, vivido por Eduardo Sterblitch, vai às últimas consequências em todas as suas reportagens. Se vai fazer uma matéria sobre transplante de rim, ele vai ser operado ao vivo.

Veronica Debom faz Fabiola Argento, uma jornalista especializada em defesa do consumidor, como Celso Russomanno, mas com uma peculiaridade: ela quer se beneficiar do que o consumidor vai ganhar.

"Fora de Hora" também promete criações inspiradas na repórter Suzana Naspolini, no apresentador Fabio Judice, ambos da Globo RJ, e no correspondente Guga Chacra, também da emissora carioca, entre outros tipos engraçados.

"É inevitável falar de Bolsonaro. Independente do posicionamento político de qualquer um", diz Caito Mainier, um dos redatores do novo programa de humor da Globo - Artur Meninea/Divulgação/Globo
"É inevitável falar de Bolsonaro. Independente do posicionamento político de qualquer um", diz Caito Mainier, um dos redatores do novo programa de humor da Globo
Imagem: Artur Meninea/Divulgação/Globo
"É uma brincadeira com o gênero", conta Caito Mainier, um dos redatores finais do programa. "Todas as referências estão lá: Chico Anysio, Jô Soares, TV Pirata, Furo MTV, Saturday Night Live. A nossa ideia é se debruçar sobre este gênero", disse ele em conversa com o UOL após um painel na CCXP.

Com 13 episódios, às terças-feiras, "Fora de Hora" deve estrear no final de janeiro. Cada episódio contará com uma parte "quente", que será gravada nos dias anteriores à exibição, comentando com humor afiado os fatos da semana, e outros quadros gravados previamente.

"Chegou a ser cogitado de ir ao ar às quintas", conta Mainier. "Bolsonaro faz live na quinta. Se o programa fosse quinta, só poderia comentar a live uma semana depois. Ia ficar muito atrasado. Terça é um bom dia. Terça é a nova segunda", diz, já deixando claro que sátiras ao presidente fazem parte do cardápio do humorístico.

"É inevitável falar de Bolsonaro. Independente do posicionamento político de qualquer um. A live do peixe inteligente que foge do óleo podia ter sido escrita por nós, do Choque de Cultura", observa o humorista.

Pelas características deste novo formato, é possível esperar um programa mais acessível e popular que o "Tá no Ar". "Se eu posso falar de uma maneira mais simples, por que não? Porque o pensamento é sofisticado, já, mas eu posso usar a melhor palavra para comunicar. O Paulo Vieira ajudou nisso. Não vai atrapalhar a piada", diz Mainier.

"Esperem cenas bem produzidas. Se tiver que capotar um carro, vai capotar. Se precisar de 100 figurantes numa cena, vai ter. Não fazia sentido baixar em relação ao Tá no Ar", acrescenta.

Sob o comando de Marcius Melhem e Dani Ocampo, redação final de Caito Mainier e Mauricio Rizzo, "Fora de Hora" terá três diretores: Lilian Amarante, Calvito Leal e Manuh Fontes.

Lilian, que trabalhou muitos anos na MTV e é a diretora do "Lady Night", com Tatá Werneck, aposta num modelo de gravação que simula ser um programa ao vivo. "Isso dá um frescor ao 'Lady Night', que vem um pouco da energia do ao vivo. O telejornal vai ser gravado assim. As matérias já gravadas rodam na hora. Do minuto 1 ao minuto 26", conta Mainier, que também é da equipe de criação do talk show de Tatá.

O elenco é formado por Marcelo Adnet, Marcius Melhem, Júlia Rabello, Caito Mainier, Luís Lobianco, Welder Rodrigues, Eduardo Sterblitch, Luana Martau, Veronica Debom, Luciana Paes, Késia Estácio, Pedroca Monteiro, Mauricio Rizzo e Gustavo Miranda.

* * *
Ouça o podcast UOL Vê TV, a mesa-redonda sobre televisão com os colunistas Chico Barney, Flávio Ricco e Mauricio Stycer. Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Siga a coluna no Facebook e no Twitter.

Mauricio Stycer