PUBLICIDADE
Topo

Bom elenco e jurados mal-humorados fizeram do Popstar ótimo entretenimento

Tony Tornado se destacou no júri do Popstar pelos seus comentários ácidos e notas rigosasas - Reprodução/TV Globo
Tony Tornado se destacou no júri do Popstar pelos seus comentários ácidos e notas rigosasas Imagem: Reprodução/TV Globo
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

29/12/2019 14h50

Encerrada a terceira temporada do "Popstar", a Globo mostra que se rendeu totalmente à fórmula necessária para um show de talentos musical: bom elenco e jurados mal-humorados.

Lançado em 2017, com Fernanda Lima como apresentadora e um time de jurados bonzinhos, o programa progrediu bastante nos dois quesitos no ano seguinte, já com Taís Araújo no comando, e atingiu o seu ápice agora em 2019.

Além da surpreendente presença do ex-goleiro Jakson Follmann, o "Popstar" 2019 trouxe outras boas vozes entre os participantes, como as três finalistas (Helga Nemetik, Totia Meireles e Yara Charry) e também os atores George Sauma, Robson Nunes e Nany People, entre outros.

Entre os jurados, destaque absoluto para ator e cantor Tony Tornado, que desfilou rigor e mau humor em três dos 10 episódios. Dudu Nobre também foi um bom jurado neste quesito, dando notas abaixo de 10 e apontando defeitos nas apresentações.

Na final, Tornado mostrou a que veio logo na primeira avaliação, do número inicial de Follmann: "Dei 9,8 com louvor". Após a apresentação de Yara Charry, Taís Araújo chamou a atenção do jurado: "Seu Tony, faltou a sua nota". E ele, em bom francês, mandou: "Pardon, mademoiselle Charry".

No momento mais polêmico, Tornado criticou a versão que Totia Meireles apresentou de "Gota D'Água", de Chico Buarque. Mas considerou que a atriz foi, ao menos, melhor que o autor da canção. Um voto que será lembrado:

"A Totia evoluiu bastante. Não estou muito de acordo com meus amigos (do júri). Eu acho que, musicalmente, a pessoa tem que ousar. Se não ousar, fica igual. E pra ela cantar pior que o Chico Buarque é impossível. Então, eu acho que a Totia tá bem melhor que da primeira vez que ela se apresentou. Eu dei uma nota 9,8 com um certo pesar porque gostaria de ter dado 9,9. Salvo algumas coisinhas aí, dei 9,8. De qualquer forma, parabéns, Totia, você é maravilhosa".

Quando Tornado mencionou Chico Buarque, a jurada Alinne Rosa se manifestou ao fundo: "Oxe! É cada uma!".

Foram 12 números musicais nesta final. Na primeira rodada, Tony deu um 9,7 (para Danilo Vieira), quatro 9,8 e um 9,9 (para Helga). Na segunda rodada, foram dois 9,9 (Follmann e Yara) e dois 9,8 (Totia e Helga). E na final deu o seu único 10, para Helga, deixando Follmann com 9,9. Não adiantou: o ex-goleiro foi o campeão.

Tratado com reverência por Taís Araújo, que se só se referia a ele como "seu Tony", o cantor manteve a mesma cara fechada, com poucos sorrisos e aplausos sem entusiasmo, nos três episódios que participou. É um tipo, claro. Mas necessário em programas deste tipo.

Mauricio Stycer