PUBLICIDADE
Topo

The Voice Kids inclui cantora-mirim que atuou por quatro anos no SBT

Analu Sampaio se apresenta na estreia do The Voice Kids 2020 - Reprodução / Globo
Analu Sampaio se apresenta na estreia do The Voice Kids 2020 Imagem: Reprodução / Globo
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

05/01/2020 15h08

Analu Sampaio tinha 5 anos quando se apresentou pela primeira vez no "Programa Raul Gil", no SBT. Foi muito bem e seguiu como participante fixa por mais de quatro anos. Segundo seus pais contaram, interpretou mais de 100 músicas e dividiu o palco com nomes como Ivete Sangalo, Toquinho, Baby do Brasil, Jorge Vercillo e Tiago Iorc, entre outros.

Em 2017, se despediu da atração do SBT, mas continuou cantando e fazendo apresentações. Ela tem assessor, página oficial no Facebook, canal no You Tube e assim que se exibiu na estreia do "The Voice Kids", neste domingo (05), o seu perfil no Instagram publicou uma imagem produzida, informando que ela é do "time Claudia Leitte".

Lógico que nada disso foi informado ao público que assistiu ao primeiro programa da quinta temporada.

Talvez já não surpreenda a ninguém, nos dias de hoje, que uma menina de 11 anos tenha tamanha bagagem e aparato promocional montado. Sinal dos tempos, dizem uns. É assim mesmo, dizem outros. Todos merecem uma oportunidade, comentam. Está certo.

A presença da experiente Analu no show de talentos infantil da Globo também chama a atenção para algo que ocorre com frequência na versão adulta do mesmo programa. O "The Voice" não tem mesmo a proposta de revelar novos talentos, mas apenas divertir e, eventualmente, abrir janelas no mercado para os participantes.

Tony Gordon, o carismático vencedor da oitava temporada, encerrada em outubro de 2019, já acumulava três décadas como cantor profissional quando se apresentou no programa da Globo. Como ele, vários outros participantes vivem de música e enxergam na visibilidade oferecida pela televisão uma grande oportunidade.

O problema é que este "passado" dos participantes quebra um pouco a fantasia prometida pelo "The Voice". Por isso, o programa costuma omitir ou resumir detalhes que mostrem o histórico profissional de alguns. Foi o que ocorreu neste domingo.

Mauricio Stycer